HomeTudo SobrePortal do Empreendedor: cadastre-se gratuitamente

Portal do Empreendedor: cadastre-se gratuitamente

-

Quem está em busca de se formalizar e tornar o seu negócio oficial, precisa abrir um CNPJ, que pode ser o MEI. O MEI é uma das formas mais simples de formalizar o empreendimento, através do Portal do Empreendedor.

É possível fazer o processo todo através da internet e de forma gratuita de forma bem simples. O procedimento de abertura do MEI, é realizado através do Portal do Empreendedor, onde o cadastro é feito para criação do CNPJ. Além de formalizar o trabalho, o cadastro MEI também oferece benefícios previdenciários que só esse tipo de registro oferece.

Assim que foi criado, o MEI exigia que a primeira declaração anual fosse feita por empresa especialista em contabilidade, onde nesse caso, o novo empreendedor poderia optar por se transformar em Simples Nacional ou não. Dessa maneira, ao realizar atividades como Microempreendedor Individual (MEI), a realização desse serviço pode ser feita por outros profissionais.

O Portal do Empreendedor é o site oficial onde a abertura da empresa como MEI pode ser feita totalmente de graça. Um dos principais objetivos do portal é oferecer informação para aqueles que precisam e tem dúvidas sobre como se tornar um MEI. Sem contar que qualquer forma de empreendimento precisa ser formalizada para garantir os benefícios ao empreendedor.

O MEI, pode ser formalizado por qualquer pessoa, e por conta própria, sem a necessidade de contratar ou pagar alguém para isso. O processo todo é em simples e foi através de uma Lei Complementar que o trabalhador informal passou a ter o direito de se legalizar para ter acesso a diversos benefícios.

- Continua Depois da Publicidade -

Esse tipo de categoria de CNPJ é um dos que possui menos burocracia, por isso é indicado pra quem está bem no começo do negócio mesmo, já que a manutenção do título e o valor da contribuição é bem baixo.

Para se ter uma ideia, abrir um MEI pelo Portal do Empreendedor custa entre R$ 54 a R$ 60 por mês. Embora tenha suas facilidades com a formalização, o registro também possui regras e um deles é o limite do faturamento anual, que pode chegar até os R$ 81 mil. Além disso, o MEI não permite que a empresa tenha uma participação ou sócio envolvido, e o titular principal pode contratar no máximo um funcionário, com limite de salário mínimo ou o piso que estiver dentro da categoria.

Todo trabalhador informal que deseja regularizar o trabalho, basta acessar o Portal do Empreendedor e se cadastrar como MEI para ter o CNPJ que vai lhe proporcionar diversas vantagens, como é o caso de contratos, emissão de nota fiscal, parceiras com empresas grandes, financiamento facilitado, entre muitos outros benefícios. Além disso, o Microempreendedor Individual não paga tributos em Imposto de Renda, PIS, IPI, Cofins, mas precisa se atentar a outros tipos de contribuição que precisa fazer.

Esse tipo de registro foi criado para facilitar o processo de formalização de abrir empresas. Com isso, uma Lei Complementar foi aprovada, de nº 128/2008 com a intenção de diminuir as burocracias e garantir que trabalhadores informações, pudessem sair da informalidade e se tornassem empresários diante a sociedade.

Ao criar um registro CNPJ no Portal do Empreendedor, os novos empresários e dos de negócios, passar a ter diversos benefícios, como emissão de nota fiscal, e também podendo ser contratado para mais de 490 tipos de atividades diferentes.

A lista de opções e segmentos que pode ser cadastrado no momento da abertura e criação do cadastro é enorme, o que inclusive, ajuda e facilita a criatividade na hora de pensar em montar um novo negócio, do zero.

Quem ainda não trabalha de maneira informal, mas tem vontade de ser dono do próprio negócio, pode fazer pesquisas de mercado para identificar o que está em falta no mercado. além de observar as opções que estão disponíveis nessa lista, para se inspirar e encontrar algo que pode ser feito e transformado em negócio.

As despesas desse tipo de registro são baixas, ideal para quem está começando e dando o ponta pé inicial em investimento para montar o próprio negócio. Por não se tratar de algo muito complexo, é indicado e recomendado para qualquer tipo de pessoa.

- Continua Depois da Publicidade -

Portal do Empreendedor

Portal do empreendedor: Consulta CNPJ

Uma das funcionalidades que o Portal do Empreendedor possibilita é a consulta do CNPJ. Todo cadastro de Pessoa Jurídica possui um número de registro que pode ser consultado para saber se ele se encontra dentro do regime MEI de formalização.

Isso pode ser feito de forma gratuita, através do Portal do Empreendedor ou no site da Receita Federal, sendo necessário apenas o número do CNPJ da empresa. Para fazer a consulta no site da fazenda, é preciso entrar no site oficial da Secretaria da Fazenda, e então digitar apenas o número do CNPJ para consultar a situação da empresa. O CNPJ é composto pode 12 números seguidos, sem qualquer pontuação. Depois de preencher o campo indicado, basta selecionar o Captcha para comprovar que não se trata de um robô, e pronto.

É válido ressaltar que nessa página existem duas opções de consulta, para empresas do tipo Simples Nacional e para Simei. Para consultar empresas do tipo MEI, qualquer uma das opções funciona, basta escolher a opção na parte superior da página e escolha a opção de “Consultar Optantes”.

Quando apertar “Enter” no número do CNPJ para fazer a verificação da empresa, e confirmar o optante, aparecerá na tela o resultado da busca. Nesse caso, é possível ver a situação em que se encontra a empresa, se está identificada como SIMEI, se o CNPJ é de MEI, se tem optantes, entre várias outras informações que são importantes para os microempreendedores.

Ao realizar um cadastro, as informações das empresas são todas arquivadas em um servidor que fica disponível pela União. O CNPJ é responsável por armazenar os dados de uma empresa, e por isso, até mesmo o próprio dono e empreendedor, pode verificar os dados da sua própria empresa para saber em qual situação de regularidade ela se encontra, além de consultar dados e informações sobre a empresa.

O cadastro de pessoa jurídica pode ser feito de diversas formas, em várias modalidades que na maioria dos casos é definida pelo valor de faturamento da empresa. Em casos como o MEI, a abertura e a formalização podem ser feitas de forma gratuita através do Portal do Empreendedor assim como a consulta do CNPJ.

Dentro do Portal do Empreendedor, vá até a opção “Serviços” e encontra o botão de “Comprovante de MEI”. Depois de clicar nessa opção, uma nova página vai abrir, onde é possível consultar usando a data de nascimento e o CPF do proprietário do registro, e depois apertar o “Enter”.

- Continua Depois da Publicidade -

O resultado da pesquisa aparece na próxima página, mostrando se há algum tipo de pendência no registro, ou se ele está irregular de alguma maneira. Caso esteja, é preciso acessar o CNPJ através da Receita Federal, para encontrar as informações necessárias e o passo a passo do que precisa ser feito para regularizar a situação.

Portanto, sempre que for fazer essa consulta, é necessário tem em mãos os dados de acesso e dados pessoais para acompanhar a situação cadastral do CNPJ.

Além de consultar o CNPJ de outras empresas e o próprio em busca de irregularidades, a consulta do documento serve para verificar os tipos de empresas que buscam parcerias. É como se fosse um tipo de análise de crédito, podendo ser aproveitado ou não para fazer grande negócios.

Algumas propostas precisam ser avaliadas de maneira mais criteriosa e usar o Portal do Empreendedor para essa tarefa, a torna mais simples e fácil. Dentro da plataforma também é permitido regularizar o que é preciso quando há problemas de pagamento ou de informações desatualizadas.

Ao pensar na evolução de um modo geral desde que o registro foi criado com a Lei, esse acabou se tornando um novo tipo de segmento para que novos empresários entrassem no mercado de forma regularizada e com regularidades.

Cada tipo de registro possui suas características e as consultas mostram qual é o tipo de CNPJ cadastrado, caso haja algum tipo de irregularidade, durante a consulta é possível descobrir o que acontece. O portal estará disponível para encontrar as respostas e as maneiras de colocar em dia o que é necessário se resolver.

Além disso, desde que o MEI foi criado, muita expectativa se criou para o desenvolvimento de comportamento dos cidadãos e até mesmo do mercado que agora, possui muito mais pessoas que mantém o registro domo microempreendedor individual, possuindo vários benefícios e deixam a irregularidade de lado.

empreendedorismo

Portal MEI

O Portal MEI é o local onde se pode formalizar a empresa, cadastrando um CNPJ como Microempreendedor individual na Junta comercial. Através do portal não há necessidade alguma de enviar documentação ou ir até um local físico para fazer o cadastro, tudo é feito através a internet, sem custo algum.

Por esse motivo, muitas pessoas ainda têm muitas dúvidas sobre como funciona o registro MEI, e se há necessidade de contratar um contador para realizar as obrigações de declaração ou não. Nesse tipo de regime, não há regra que obrigue a contratação, mas em casos de dúvidas e insegurança, é possível contratar um especialista na área para que ele faça as declarações anuais que são uma exigência da Receita Federal.

Para quem está se cadastrando como MEI, os custos são bem baixos e pagos a cada mês pela manutenção da formalização, do CNPJ e do registro que é usado. Os valores cobrados na taxa mensal do MEI são de R$ 52,25 por mês, pela Previdência Social ou INSS, que deve corresponder a 5% do valor do salário mínimo. o que quer dizer eu esse aumento varia com o tempo. mais R$ 1,00 que é pago para o Estado quando a empresa faz parte da área do comércio e R$ 5,00 para o município para as empresas que prestam serviço.

Tanto empresas do tipo MEI, quanto as que são Simples Nacional, fazem parte de um registro para formalizar o trabalhador irregular, ou para registrar o CNPJ de novos empreendimentos. Existem diversas vantagens em formalizar a empresa, incluindo o sistema todo que fica disponível dentro do portal do MEI.

Existem alguns custos extras que podem ser cobrados pelo registro, como é o caso do DAS impresso. Nesse caso o contribuinte ou empresário precisa fazer os pagamentos todos os meses, no valor da soma dos valores informados acima, dependendo de cada caso ou tipo de serviço que a empresa presta.

Os pagamentos podem ser feitos através da internet, em bancos e lotéricas, até o dia 20 de cada mês. O atraso dos pagamentos pode resultar em pendência no número de registro e também acarretar em juros para os pagamentos futuros.

Muitas pessoas ainda têm dúvida entre o as características do MEI e do Simples Nacional. Para isso, é essencial entender que os dois são registros de CNPJ, com obrigações diferentes. Porém, se tratam de registros de pessoas jurídicas.

Dentro do Portal do Empreendedor é possível encontrar as principais características de cada um dos regimes. No caso do Microempreendedor Individual, se trata de um CNPJ mais simples, com menos burocracia e menos obrigações do que o Simples Nacional, embora ele também seja simples.

Para se ter uma ideia básica, a principal diferença entre os dois regimes é o limite do faturamento anual, sendo que o MEI pode faturar no seu negócio o valor de até R$ 81 mil enquanto que no Simples Nacional, o limite do faturamento anual pode ir até os R$ 3,6 milhões.

Ambos foram criados para facilitar a formalização e possibilitar o crescimento de empresas pequenas, para que pagassem menos impostos. É muito comum que empresas e empresários que comecem com o registro de MEI, depois migrem e façam a mudança para Simples Nacional conforma e empresa vai crescendo.

No caso do Simples Nacional, algumas coisas mudam e se tornam um pouco mais complexas do que o registro mais básico como o MEI. Por exemplo, assim como o limite de faturamento aumenta, algumas outras responsabilidades também. No caso da formalização como cadastro e mudança de registro, é preciso ser feito e cartório e não somente pela internet.

É possível encontrar no Portal do Empreendedor as diferenças de características entre os dois sistemas, principalmente no que diz respeito sobre a contabilidade. No caso do MEI, o simples não exige que seja feita a declaração do faturamento com exatidão, desde que o limite total não seja ultrapassado.

Já o Simples Nacional envolve um registro do fluxo de caixa da empresa, que deve ser detalhado, e emitido por um contador certificado. Nesse tipo de empresa o proprietário também já pode contratar mais pessoas, diferente do outro regime.

Sobre as taxas e alíquotas e taxas de contribuições, no Simples, os valores variam de 4% a 19% sobre todo o valor que é faturado no mês, incluindo as taxas de INSS, ISS, IPI, PIS/PASEP, Cofins, IRPJ, CSLL e CPP.

Dá para perceber de uma forma generalizada que a principal diferença entre as duas empresas é sobre o tamanho delas. Enquanto uma é menor e muito mais voltada para pequenos empreendimentos a outra se trata de outro patamar de empresas que pode chegar a faturar milhões. Então fazer a transição e mudar o registro, requer um salto grande dentro do empreendedorismo e isso é um grande passo dentro do mercado, que exige mais responsabilidades.

Portal do Empreendedor

Portal do empreendedor: Como abrir MEI

Assim que decidir e optar por formalizar o negócio através do Portal do Empreendedor, para se tornar um MEI é preciso estar dentro de algumas condições especiais, como é o caso de ter ser maior de idade e ter mais de 18 anos, não pode ser sócio de outra empresa, e nem ser o titular de outra empresa. O faturamento mensal não pode ultrapassar os R$ 6.500 por mês.

É preciso que o trabalho exercido pela empresa esteja registrado e dentro das categorias que podem fazer parte do MEI. Caso você queira abrir uma empresa no sistema de MEI, mas é estrangeiro vivendo no Brasil, existe algumas condições, como é o caso de ter visto permanente.

É fundamental tomar cuidado onde vai fazer a inscrição e encontrar o Portal do Empreendedor correto, que é feito pelo Governo Federal. Além disso, durante a inscrição, nenhuma taxa é cobrada, todo o serviço é feito de forma gratuita e por isso é preciso ficar de olho. Tudo que é cobrado pelo MEI, é a taxa mensal que giram em torno de R$ 50 por mês ou a mensalidade do INSS, mas não há cobrança alguma para abertura.

O passo a passo para cadastrar formalizar a empresa, é feito no site oficial do Portal do Empreendedor, e antes de começar é preciso ter todos os documentos e informações sobre o negócio em mãos. O site oficial do Portal do Empreendedor mudou, e agora é no site oficial do governo onde todas as informações sobre o CNPJ do tipo MEI está disponível.

Durante o passo a passo, é preciso separar RG, Título de eleitor, recibos de Declaração de Imposto de Renda, informações de contato e o endereço da residência. Um ponto importante que precisa ser ressaltado, é que antes de dar início ao registro do MEI, é preciso realizar uma pesquisa para saber quais as atividades que se encaixam nessa categoria de negócio.

Atuação de MEI permite uma infinidade de tipos de negócios, mas alguns não podem funcionar nessa categoria, por isso a importância de pesquisar primeiro antes de dar início ao cadastramento.

Para ser microempreendedor individual é preciso realizar atividades que estejam de acordo com a lista que está disponível no Site do Governo Federal. É comum encontrar divergências entre as listas federal e municipal, mas alguns códigos que podem fazer parte do processo é o CNAE.

Voltando para o cadastro, no Portal do Empreendedor é preciso preencher os dados do formulário. Ao clicar nas opções de “Quero ser MEI”, haverá em seguida a opção de “Formaliza-se”, ao clicar nesses dois botões, encontre a opção de “Crie sua conta gob.br” onde será feito o cadastro do zero. Caso já tenha o cadastro feito, é só realizar o login.

Depois da conta criada, é preciso encontrar a opção de usuário que ficará disponível pelo site. O número do CPF é o mais comum a ser oferecido, mas também é possível escolher outra forma de realizar o login. No restante do formulário, mais dados pessoais vão sendo pedidos para ser preenchidos e ate que a lista acabe, é preciso preencher item por item do que for sendo pedido.

É importante fazer esse cadastro com atenção para que os dados fiquem corretos e o código que é enviado por e-mail ou SMS, possa ser enviado corretamente para ativação do cadastro. Quanto tudo estiver pronto, é através desse Portal do Empreendedor que será possível realizar diversos serviços.

Depois de acabar de preencher o formulário para cadastro do MEI, o passo número 2 envolve o acesso, onde serão pedidos o número do recibo do Imposto de Renda e o Título de Eleitor. Para quem não faz a declaração, não é preciso preencher nada. Ao fim do processo, um código é enviado por SMS para confirmar a abertura do MEI.

Assim que o cadastro terminar, o próximo passo é escolher o nome fantasia da empresa. O nome fantasia não necessariamente precisa ser o mesmo nome de registro. É o nome ou a marca que você deseja ter para o seu negócio. Sendo assim, esse é outro ponto que precisa ser pensado, levando em consideração a área de atuação do negócio também.

Nessa etapa é informado também a área de atividade da empresa. Se será algo feito através da internet, se é comércio, se possui outro endereço ou se as atividades são realizadas em casa, e assim por diante. Depois de cadastrar o endereço físico, é preciso informar o local onde você mora e o local onde será realizada a atividade da empresa.

Feito isso, o próximo e último passo é emitir a certificação de MEI. No Portal do Empreendedor, as declarações do MEI são obrigatórias, o que significa que todos os anos, o CCMEI (Certificado de Condição de Microempreendedor Individual) deve ser emitido. Esse documento serve para comprovação da abertura da empresa, e da inscrição como MEI. É nele que consta o registro da empresa, o CNPJ, para com a Junta Comercial.

Verdadeiro Portal do Empreendedor

No final do ano passado em 2020, o Portal do Empreendedor mudou de endereço, além de ganhar um novo visual. O endereço da URL passou a ser o gov.br, mas não há qualquer problema para quem ainda estiver usando o endereço antigo, que nesse caso passa a ser redirecionado para o novo site.

Os conteúdos e serviços que eram disponibilizados antes do antigo portal, continuam estando disponíveis, mas agora no novo endereço. Com isso, caso seja necessário imprimir um boleto para pagamento, realizar o cadastro MEI através da internet, ou fazer uma declaração. Tudo pode ser feito dentro de um único portal que pertence ao empreendedor.

Como já foi dito anteriormente, é fundamental tomar cuidado nos sites que são navegados para fazer esse tipo de cadastro. Antes de começar a se cadastrar e depositar seus dados pessoais ou da empresa em qualquer lugar, verifique se o site é o oficial do Portal do Empreendedor. Caso esteja em dúvida, não faça e busque pelo site verdadeiro.

Portal do Empreendedor

Cadastre-se no MEI gratuitamente

O cadastramento do MEI é feito de forma gratuita dentro do Portal do Empreendedor. O processo inicial de cadastro é totalmente sem custo e o novo empreendedor só paga a taxa mensal de R$ 50, depois que o registro estiver ativo.

Assim que o cadastro é finalizado, o Portal do Empreendedor oferece ao empresário um número de registro, que é o CNPJ, e também um Alvará Provisório, até que tudo seja regularizado e aprovado para que o negócio possa funcionar de maneira formalizada.

Muitas pessoas se perguntam, o porquê desse tipo de registro não ter custo algum. E a resposta é pelo motivo pelo qual ele foi criado. A intenção do registro MEI sempre foi de facilitar a vida do pequeno empreendedor, para que pudesse regularizar o empreendimento e trabalhar de forma legítima diante a lei, tendo direito a todos os benefícios de ser pessoa jurídica.

Com isso em mente, fica fácil entender porque o registro é grátis, mas é necessário levar em consideração que o tipo de CNPJ possui diversas obrigações, como é o caso de pagar as guias em dia todos os meses. Além disso, também é necessário começar a declarar Imposto de Renda sobreo faturamento.

No caso do CNPJ do tipo MEI, não há necessidade de pagamento de impostos sobre o faturamento, já que essa taxa é paga de forma fixa todos os meses. Sendo assim, existe o limite máximo de faturamento anual que é de até R$ 81 mil.

O MEI é isento de impostos que deveriam ser cobrados a mais, por faturamento, assim como em outros tipos de empresas ou pessoa jurídica. Quando o trabalhador informal decide formalizar seu negócio, o registro de microempreendedor individual é sempre o mais indicado para um negócio que está no início. Caso o faturamento da empresa seja maior que o limite permitido nesse tipo de registro, então é possível criar o CNPJ dentro do Simples Nacional que possui outras regras e outras obrigações.

O crescimento do negócio, e a forma como trabalhadores autônomos podem se formalizar através do MEI e progredir para o Simples, é o que mostra como o mercado funciona, e como os empreendedores precisam estudar para entender o mercado e fazer o faturamento aumentar e a empresa crescer.

A ideia de se cadastrar de forma gratuita para se formalizar como MEI no Portal do Empreendedor para ter a própria empresa é um grande passo para tornar as pessoas mais independentes financeiramente.

A facilidade da formalização é algo que possibilita a criação de empresas, serve para mostrar que é possível começar debaixo, com faturamentos menores e ir crescendo com o passar do tempo, com investimentos pequenos.

Fazer um negócio crescer pode não ser fácil no começo e exige muito trabalho duro, estudo de mercado e persistência, além de investimentos pontuais e elementos chaves do negócio, para que ele desabroche e por fim, passe a crescer e fazer cada vez mais sucesso.

Os dois tipos de registro, tanto o MEI quanto o Simples, estão disponíveis no Portal do Empreendedor, com diversas dicas para incentivar os empreendedores e novos donos de negócio a trabalhar para crescer em seus empreendimentos. O que vale a pena contar é que é necessário participar e trabalhar das atividades das empresas, para que o faturamento vá aumentando e crescendo sempre.

Uma empresa que cresce, é uma empresa que prospera. Embora a mudança seja de limite de faturamento de uma para a outra seja enorme, é válido ressaltar que mesmo depois de deixar de ser MEI, os impostos e tributos precisam começar a ser pagos com base no valor do faturamento.

É preciso pagar imposto. Embora o Brasil seja um dos países que mais cobra imposto dos empreendedores e empresários, nunca se deve pensar ou evitar de crescer economicamente para não ter que pagar os tributos. Além desse ser um conceito completamente antiquado para quem deseja atuar no mercado, também é limitante e retrógrado em diversos aspectos.

Outra dúvida muito comum dos empreendedores é sobre a ultrapassagem do limite máximo que pode ser faturado ao longo do não. Por exemplo, quando o valor do faturamento anual ultrapassa em cerca de 20%, o empreendedor precisa tomar algumas providências, como é o caso de realizar o desenquadramento do Microempreendedor Individual.

Quando isso acontece é preciso mudar o tipo de empresa, que pode ser para ME a MicroEmpresa ou para o Simples Nacional. Para fazer a migração, é preciso entrar em contato com um contador, e também fazer o registro novo junto ao cartório.

Outra saída, caso esse excesso do faturamento tenha sido apenas em um mês, é pagar os impostos sobre o valor sobressalente que ao ser feito os cálculos, pode acontecer de maneira retroativa.

De uma maneira resumida, ter um mês de faturamento como MEI que ultrapassa os valores máximos de R$ 6.000, é possível que o excesso do valor pode ser compensado em um próximo mês. Por isso que quando se fala em pessoa jurídica e empresas, os cálculos de faturamento são sempre feitos de forma anual.

É válido ressaltar que ao trocar o registro da empresa é preciso encerrar o CNPJ antigo. Ficar com duas empresas abertas pode causar confusão e irregularidades com o MEI, por ter outro tipo de CNPJ aberto no mesmo nome em uma categoria nova. Caso tenha qualquer dúvida relacionada a troca de registro, no Portal do Empreendedor é possível saná-la.

Simples Nacional

Qual é o site oficial do MEI?

O site oficial do MEI, mostra todas as vantagens de se tornar uma pessoa jurídica e formalizar o pequeno empreendimento. Mesmo que não se trate de um site governamental, todas as informações importantes estão disponíveis, assim como no Portal do Empreendedor.

As principais vantagens de entrar no portal e se tornar um MEI, é a legalização do empreendimento. Ao te rum CNPJ, as obrigações legais passam a ter um custo menor, que é pago mensalmente. Além disso, o microempreendedor também tem os benefícios do INSS, que garantem aposentadoria por idade, auxílio doença e salário maternidade.

Quem é pessoa jurídica também possui facilidades para conseguir empréstimos e financiamentos, que são feitos de forma facilitada. Dentro do Portal do Empreendedor existe mais informações sobre os Bancos que oferecem esse tipo de benefícios para quem está cadastrado, junto com uma assessoria personalizada para tirar dúvidas e ajudar a construir uma empresa eficiente.

Dentro do Portal do Empreendedor, também é possível fazer alterações no cadastro como mudanças de endereços ou de atividades. Dentro do portal MEI, mudanças e atualizações de cadastro podem ser feitas sempre que necessário, inclusive é preciso que os dados estejam sempre em dia para que não haja problema de irregularidades com o CNPJ.

O portal do MEI é uma forma de manter os dados seguros e atualizados de forma rápida. É possível fazer diversas alterações, desde o nome fantasia, endereço, telefones de contato e outras informações que sejam essenciais para manter o contato atualizado, isso ajuda a acarretar mais vantagens, principalmente para financiamentos e empréstimos.

O site do MEI também permite que ao cancelar o CNPJ, seja possível dar baixa no registro de forma prática. No Portal do Empreendedor o encerramento da empresa pode ser feito para evitar pendências futuras e desde que não haja qualquer débito em aberto ou irregularidades o processo é feito de forma simples e rápida.

MEI

Onde entrar no MEI?

Desde 2009 se tornou uma opção válida para pequenos e micro empreendedores que precisam ou que querem abrir suas próprias empresas e com isso, puderam estar formalizados de forma simples e menos burocrática.

Empreendedores e trabalhadores autônomos e informais resolveram se formalizar e atualmente o número de empresários registrados com CNPJ MEI só cresce. Toda a natureza Jurídica que faz parte da natureza do tipo de empreendimento MEI, pode facilitar e muito as atividades e responsabilidades de quem está iniciando no mundo dos negócios.

Em 2020 um levantamento foi feito e mostrou que existe cerca de 3,3 milhões das empresas presentes no Brasil, e desse total, 2,6 milhões são de registros do tipo MEI. Esse total representa um crescimento de cerca de 8,4% em relação ao comparativo do ano anterior.

No último ano com a pandemia, os números aumentaram ainda mais, já que diversos brasileiros estão tomando coragem para empreender e começar a realmente tocar o próprio negócio.

O Portal do Empreendedor oferece apoio aos novos empreendedores, e todo o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do tipo MEI, são pesquisados constantemente para mostrar como a praticidade e a diminuição de responsabilidades pode beneficiar os empresários, que ao invés de se preocuparem com burocracia, podem focar em fazer o negócio se desenvolver.

Para quem está pensando em começar a empreender no momento, entrar no Portal do Empreendedor é uma forma de se tornar pessoa jurídica. Para entrar no MEI, basta acessar o site do empreendedor através do site oficail do governo e fazer o login que foi usado para fazer o cadastrado para a criação do MEI. Por ter os impostos facilitados, esse acabou se tornando o modelo de negócio favorito atualmente entre os brasileiros, que têm como obrigação o pagamento de uma taxa única, chamada de DAS.

Mas como saber se essa é a melhor opção para o seu negócio? Antes de optar por entrar no MEI, é essencial fazer uma análise sobre o estilo de negócio que está montando, para saber que é a atividade econômica que mais combina com a atividade da empresa.

Além disso, para se tornar Microempreendedor Individual é necessário que o perfil de negócio esteja dentro das atividades permitidas pelo tipo de registro. No site do Portal do Empreendedor, é possível avaliar a lista, para saber se as atividades são permitidas e então abrir o negócio para começar a trabalhar.

A lista oficial de categorias pode ser uma forma de considerar a atuação da empresa. Quando o serviço ou os produtos da empresa que atendem aos critérios de abrir um MEI, não há qualquer tipo de restrição para que a formalização não seja feita. O processo de abertura é simples e rápido e por ser feito todo online, acrescenta uma enorme facilidade ao processo.

Todos os passos descritos no decorrer deste artigo, de como entrar no MEI, indica que é necessário acessar o Portal do Empreendedor, realizar o cadastro e dar andamento no processo.

As atividades e nome fantasia podem ser alterados sempre que necessários para manter o cadastro da empresa sempre atualizada. Essa foi uma das maneiras que o governo criou para incentivar que trabalhadores informações e autônomos, conseguissem trabalhar de forma regulamentada de alguma maneira, e nesse caso, através do empreendedorismo.

Depois de entrar no MEI, o empreendedor tem a possibilidade de emitir CCMEI, notas fiscais, e possui um número cadastrado como CNPJ, o que faz dele pessoa jurídica. Todos os demais detalhes que fazem parte desse registro, podem ser encontrados no Portal do Empreendedor, onde todas as dúvidas podem ser tiradas, junto de novas informações que vão se atualizando e mudando conforme o mercado gira.

VEJA TAMBÉM: Whatsapp Business: Use o app para alavancar seu negócio

 

Deixe seu Comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Talvez Você se Interesse

- Publicidade -