HomeRedes SociaisLinkedIn: como fazer network e conseguir jobs?

LinkedIn: como fazer network e conseguir jobs?

-

Criar conexões para as mais diversas finalidades é primordial quando falamos em alcançar posições e chegar a lugares não imaginados. Na vida profissional, em que a concorrência é altamente pesada, não é diferente. O LinkedIn, ferramenta criada com intuito de ser uma completa rede de contatos profissionais, existe para aproximar empregadores e empregados, empreendedores de novos profissionais, diminuir as distâncias entre quem é exemplo e quem pode ser um profissional de sucesso.

Por funcionar como grande rede de contatos profissionais, é importante entender como o LinkedIn funciona, a sua dinâmica propriamente dita no objetivo de ter uma boa rede de contato e, assim, conseguir alguns novos trabalhos;

Com isso, descubra hoje com a gente como fazer network e conseguir jobs na maior rede social relacionadas a negócios do mundo e conquistar a sua independência profissional.

O que é o LinkedIn

É a primeira rede social relacionada a negócios existente no planeta Terra. Foi lançado no final do ano de 2002, ficando disponível aos usuários apenas em maio de 2003. 

Destina-se exclusivamente a criação de uma lista detalhada de contatos de pessoas nas quais elas confiam e desejam ter conexão profissional.

- Continua Depois da Publicidade -

Dá para usar essa rede de contatos que criamos dentro da rede social de diversas formas:

  • Criar relações mais próximas, podendo ser de primeiro, segundo ou terceiro grau com outros empreendedores, de acordo com seu nível e objetivos profissionais;
  • Encontrar vagas de empregos e empresas que abram oportunidades de negócios a partir dos contatos ou da plataforma própria de empregos;
  • Aproximar futuros empreendedores de empresários renomados e inspirá-los a fazer a diferença no mercado de trabalho;
  • Desenvolver conteúdo próprio relacionado à sua área de atuação, como artigos e postagens, e atrair novas conexões.

Com mais de 750 milhões de usuários em mais de 200 países, a rede social tem como missão “criar oportunidades econômicas para cada integrante da força de trabalho global”.

Nascido na Região de Mountain View, no condado de Santa Clara, no lado oeste do estado da Califórnia, nos EUA, foi um sonho realizados por cinco universitários que trabalhavam no Vale do Silício e que sentiam a necessidade de ter uma rede de conexões e trocar experiências entre os profissionais das maiores empresas instaladas ali, como o Google, AOL e Microsoft.

Para a pessoa participar da rede social, era necessário receber um convite para criar a sua conta. Hoje, não é mais preciso esperar ser convidado, dá para abrir a conta rapidamente direto na home do site.

A plataforma disponibiliza recursos de navegação, soluções business e diretórios nos quais os usuários podem interagir, encontrar conexões e divulgar seus serviços e vagas de emprego.

Aquisição pela Microsoft

Em 2016, a plataforma foi comprada pela empresa de Bill Gates por mais de US $26 bilhões. Na época, foi garantida a independência e o funcionamento do LinkedIn nos mesmos moldes de seu início.

Para a gigante da internet, a compra da rede social é altamente estratégica, diante do seu alto investimento em soluções empresariais, integrando todos os produtos e aumentando o seu portfólio de serviços.

Como criar uma conta no LinkedIn

Como citamos anteriormente, no começo das suas operações, a plataforma era acessível apenas a quem tinha um convite de usuário já cadastrado dentro da rede social.

- Continua Depois da Publicidade -

Mas em 2004 essa seleção de usuários foi derrubada, abrindo a possibilidade a todos os internautas criarem sua conta e criar sua rede de contatos. O passo a passo para criar a conta é rápido e simples:

  • Acessar o site do LinkedIn;
  • Clicar em “Cadastre-se Agora”;
  • Colocar e-mail ou telefone de cadastro e a senha;
  • Inserir todas as informações de perfil.

As principais informações que o novo usuário deve colocar na plataforma são:

  • Nome, foto e capa de perfil;
  • Cargo e local;
  • Histórico profissional;
  • Informações acadêmicas;
  • Biografia;
  • Certificados;
  • Competências profissionais;
  • Interesses;
  • Conquistas pessoais, como titulações, premiações, entre outros;
  • Atividades realizadas (artigos publicados, projetos divulgados).

Existem dois tipos de usabilidade dentro do LinkedIn: a versão gratuita, usada pela grande maioria dos usuários, e a versão Premium, paga mensalmente.

Neste recurso pago, é possível se destacar na busca de empregos, mostrar mais competências, enviar mensagens diretas com o InMail e saber como você está em relação aos demais usuários de acordo com o currículo profissional.

Conexões de grau: o que seria

O importante dentro do LinkedIn é saber construir uma boa rede de contatos, ou de conexões, que consigam te aproximar de empregadores e empreendedores e, assim, construir oportunidades de negócio altamente interessantes.

Dentro da rede social, existem a divisão entre as conexões, de modo a entender o seu histórico e criar novas possibilidades dentro da área em que atua, a rede faz uma categorização dos contatos.

Podemos dividir os nossos relacionamentos em conexões de primeiro, segundo e terceiro grau, a saber:

  • Contatos de 1o grau: perfis com conexão direta a você, a partir de uma mensagem inbox, e que aceitaram o seu convite ou te convidaram a participar da sua rede de contatos;
  • Contatos de 2o grau: São pessoas adicionadas aos seus contatos de 1o grau, mas que não estão na sua rede. Neste caso, é possível conectar com eles a partir do botão “conectar” ou através de um recurso dentro da plataforma chamado InMail, recurso para usuários pagos do plano Premium;
  • Contatos de 3o grau: São os contatos que fazem parte da rede de 2o grau. O que muda é como este usuário quer ser encontrado e como entrar em contato com esta pessoa. Se estiver disponível o nome e sobrenome, é possível se conectar a ele. Mas se somente tiver a primeira letra do sobrenome disponível, dá apenas para mandar o InMail.
  • Usuário do LinkedIn: é a pessoa que não está em nenhuma destes graus e que está fora da sua rede, sendo encontrada apenas no recurso de pesquisa global do LinkedIn.

Como utilizar a rede profissional para se divulgar

O grande segredo do sucesso profissional está em como promovemos as nossas competências e tornar a nossa experiência profissional atraente e capacitada o suficiente para atrair empregadores ou empreendedores.

- Continua Depois da Publicidade -

Na rede social, esse cuidado tem que ser ainda maior. Uma pesquisa feita pela plataforma Jobvite, focada em softwares de contratação, 79% dos pesquisados já contrataram seus profissionais através do LinkedIn.

Por isso, devemos utilizar a rede a nosso favor. Existem milhares de dicas para fazer um bom perfil na rede, mas o fundamental é pensar que é completamente diferente do Facebook e Instagram.

Aí está o maior erro dos usuários: confundir o que é um ou outro. Já foi feito até meme de pessoas que cometeram grandes gafes pelo simples fato de postarem conteúdo de Facebook em sua página de LinkedIn.

As dicas para evitar essa dor de cabeça bem incômoda e que pode te afastar de um potencial empregador são estas:

  • Poste algo que for realmente relevante na rede. As pessoas realmente não querem saber sobre os detalhes da sua vida que sejam desinteressantes;
  • Tenha uma foto de perfil adequada. A pior coisa que existe é ter uma foto absolutamente sem a menor compostura sua numa festa bêbada ou na praia;
  • Não use a rede profissional para esculhambar o seu antigo empregador. Isso pega muito mal e te afasta de outras possibilidades de carreira.

Como atrair clientes e ter um bom perfil

Já que estamos em uma rede profissional, o principal pensamento é saber como ter um perfil atraente e chamar a atenção dos usuários.

Além disso, devemos ter uma boa estratégia de retenção de potenciais clientes de modo a fazer com que sua empresa ou seu perfil possa reverberar e traduzir em ganhos pessoais e profissionais.

Para isso, é necessário que faça estes passos:

  1. Foto de perfil e sua biografia como cartão de visitas

Falamos acima que um conteúdo mal feito é sinal de fracasso. Ainda mais quando estamos trabalhando com a primeira impressão com seu potencial cliente.

É só prestar atenção aos diversos perfis que encontramos na rede social que pagam micos por não prestarem atenção nos detalhes. Então, coloque uma foto que esteja de acordo com a persona que você está vendendo para os demais participantes.

Ainda utiliza como título “Cargo na Empresa Y?”. Abandone isso de uma vez! Faça um título que desperte o desejo em quem lê de te ajudar e de permanecer no seu perfil.

2. Promova conteúdo relacionado com sua área de atuação

A coisa mais estranha de se ver é quando uma pessoa que trabalha na área de tecnologia vai falar de contabilidade criativa. Não confunda com falta de respeito sobre o assunto, longe disso.

O que estamos reforçando aqui é o fato do profissional querer falar de um outro assunto não afeito somente para mostrar que sabe de tudo. Não!

Se você trabalha com engenharia, seu LinkedIn tem de falar sobre temas relacionados ao mundo em que você vive. Assim, seu perfil terá mais credibilidade e irá atrair os interessados pelo assunto.

Além disso, os convide para interagir sobre o que foi falado e aumentar o relacionamento com suas conexões.

Que tal compartilhar um artigo escrito por você? Ou um case de sucesso de um projeto realizado na empresa onde trabalha ou cliente no qual prestou serviços? 

3. Use uma mensagem inicial para seus contatos

É sempre bom chegar em algum lugar e ser bem recebido. Com as boas-vindas, a pessoa se sente mais à vontade para conversar. Isso não é diferente na rede social profissional.

Já pensou em criar uma mensagem de boas-vindas para cada contato novo? O resultado será instantâneo: a pessoa se sentirá mais à vontade e você pode convertê-la em cliente.

Storytelling: porque usar no LinkedIn

É sempre bom causar uma boa impressão, mas dá para ser totalmente impessoal na rede social? Nem sempre!

Mesmo que o seu perfil seja corporativo e fale sobre suas realizações profissionais, estamos lidando com pessoas. São emoções, sensações, impressões e convicções a todo momento.

Pensando nesse aspecto, utilizamos a técnica do Storytelling. Em tradução livre, é a arte de contar histórias capazes de prender a atenção dos ouvintes e comunicar as ideias com a clareza necessária.

Este recurso, sempre usado em palestras e apresentações, nunca foi tão utilizado aqui no LinkedIn como agora. 

Toda e qualquer história bem contada é interessante, não importa se ele soa com um total absurdo. Contar histórias fictícias é possível, então porque não usar uma boa história para convencer seu leitor?

Dica: Aposte numa narrativa que demonstra o quão profissional você é. Não fique se prendendo em falar o que fizeste no último emprego, mas seja objetivo descrevendo as experiências obtidas na empresa e como ajudou a formar seu caráter.

No campo “Sobre”, é a mesma coisa. Sem ter um texto, sua apresentação vai ficar capenga. Já utilizando um texto em primeira pessoa exaltando suas qualidades usando o storytelling tornará seu perfil muito mais atraente.

Quer um exemplo: observe os perfis LinkedIn Top Voices. Pertencem aos maiores usuários em relevância da rede e utilizam a estratégia para chegar ao seu público. 

As vantagens que estes profissionais têm percebido e que podem acontecer também no seu perfil são:

  • Construção de autoridade;
  • Conteúdo muito mais atrativo;
  • Empatia;
  • Aumento de público.

Se os grandes perfis podem utilizar, porque você não pode usar a estratégia no seu perfil? Só tome cuidado em não utilizar informações falsas. Não transporte a oportunidade em desastre. Sempre diga a verdade, por mais que seja danosa em algum ponto.

Melhor não dizer sobre determinado aspecto do que aumentar um ponto e ser desmascarado. Ficará feio para quem lê e, principalmente, para quem escreve.

Posso usar copywriting no LinkedIn?

Em um ambiente altamente concorrido e onde todos querem estar no topo, o diferencial é estar na frente com conteúdo persuasivo, que faça com que o leitor se sinta atraído pelo conteúdo.

Para dar conta disso, é necessário usar técnicas específicas de escrita. O objetivo é evitar que se escreva uma enormidade de coisas e não consiga traduzir em mensagem alguma.

Um amontoado de palavras que não chegam a lugar algum é a coisa mais frequente vista no LinkedIn. Pior ainda é ver grandes nomes cometendo esse erro crasso.

Agora que sabemos da necessidade de fugir dessa cilada, qual técnica usar? É o Copywriting, que traduzido para o nosso português é “Escrita para fins publicitários”.

Utilizado costumeiramente no mercado de marketing digital, é um tipo de redação no qual utilizamos a técnica de persuadir a pessoa a conhecer a marca e adquirir o produto.

E não estamos vendendo o nosso próprio produto? Ou seja, a gente mesmo! O Copywriting é altamente possível, sabendo utilizar a técnica com precisão e agilidade, o resultado será convertido em conteúdo mais dinâmico e convidativo ao leitor.

Estes conhecimentos de Storytelling e Copywriting são eficientes nas redes sociais, mas devem ser realizados com excelência. Porém, a grande maioria das pessoas mal têm a noção básica de como trabalhar com isso. 

A solução está na contratação de um social media especializado. Confira porque ele é importante na criação do conteúdo do seu perfil no LinkedIn.

A importância do Social Media para o LinkedIn

Escrever da maneira correta e que consiga convencer o leitor a consumir o conteúdo e convertê-lo em um contato ou venda exige planejamento, escrita impecável e estratégia correta.

Pensar nestes detalhes é atribuição do Social Media, profissional treinado e qualificado para tal função.

Muitas pessoas acabam banalizando o seu trabalho. Mal sabem que um posto bem elaborado pode ser a porta para um grande cliente.

A oferta de profissionais aumenta exponencialmente, mas escolher a melhor pessoa para escrever na sua rede social exige requisitos básicos, mas basilares:

  • Saber escrever para todas as redes sociais: Facebook, Instagram, Twitter, LinkedIn, entre outros;
  • Ter as qualificações necessárias: formação superior em Jornalismo, Marketing ou Publicidade e cursos especializado em Social Media. É possível comprar estes cursos na Rock Content, Udemy, Hubspot;
  • Saber diferenciar cada rede social e sua linguagem. Afinal, não pode ser concebível escrever em uma rede social voltada a um ambiente corporativo da mesma forma que se fala para um ambiente aberto, como o Facebook. São públicos diferentes, escritas diferentes;
  • Ele deve saber fazer um estudo detalhado a partir de um briefing com as principais informações profissionais ou informações acerca da empresa.

Seguindo estes passos, a parceria com o Social Media para escrita no LinkedIn terá maiores possibilidades de ser bem sucedida.

Não é apenas entregar tudo na mão do profissional, mas colaborar com dados e fornecer respostas práticas na elaboração da escrita adequada ao perfil.

Em muitos casos, é recomendado abrir uma página para o negócio, o que chamamos de Company Page. Mas será que vale a pena?

Fazer uma Company Page: sim ou não?

A resposta varia muito dos seus objetivos finais. A criação de uma página de uma empresa exige muita responsabilidade e cuidado.

Em tempos que discutimos muito sobre o mercado de trabalho e a representatividade em nossa sociedade, algo dito fora de contexto ou de forma inadequada pode arruinar todo um trabalho.

Se a empresa na qual presta seus serviços precisa ter um ambiente próprio, a página é uma ótima solução.

Mas se no caso de seu perfil pessoal for destinado apenas para divulgar os produtos, as mesmas dicas faladas mais acima se equivalem.

Caberá ao Social Media e ao cliente a devida avaliação da estratégia nas redes sociais e tomar a decisão final 

Mas o que não pode ser feito é simplesmente abandonar o perfil e deixar tudo na mão de uma pessoa só.

O LinkedIn também é seu!

De nada resolve entregar na mão de uma pessoa a gestão e criação de conteúdo dentro da sua página e não fazer absolutamente nada.

Essa atitude traz mais dor de cabeça do que resultado propriamente prático, especialmente na questão da pessoalidade.

Mesmo que o Social Media escreva parecendo ser em primeira pessoa, corre-se o risco de a página ser totalmente superficial, o que causa efeito negativo perante suas conexões e afasta possíveis clientes.

Evite esse tipo de situação bem indesejável com uma rotina fácil de se cumprir.

Priorize escrever pelo menos uma vez por semana ou por mês em sua página, trazendo sua bagagem cultural.

Importante: tem que ter sintonia com o que já está sendo escrito, sob o risco de virar uma salada de frutas, confundindo ainda mais o tempo do que explicando os objetivos da leitura 

Para ter a sua página mais completa, além de ter a escrita de qualidade, é fundamental inserir itens plus para incrementar ainda mais seu currículo e chamar a atenção dos seus empregadores.

São as certificações LinkedIn. Vamos saber mais sobre a importância de inseri-las e como colocar no seu perfil.

Certificações LinkedIn

Sabemos que no mercado de trabalho com o qual lidamos e sendo altamente competitivo, apresentar diferenciais lhe faz sair na frente e ficar mais perto da vaga de emprego ou da conquista de um cliente corporativo.

Sabe aquela série de cursos de verão, os realizados durante as férias, nos finais de semana, cursos online, certificações por bons serviços, entre outros? São eles que podem fazer a diferença a seu favor!

Por isso, é obrigatório estarem no seu perfil profissional. Adicionando estes certificados adquiridos ao fim destes cursos dentro do LinkedIn, você passa à frente dos concorrentes e pode conquistar o que tanto almeja.

Para adicionar as suas certificações, siga estes passos:

  • Dentro do seu perfil do LinkedIn, clique em “Editar Perfil”;
  • Vá até a aba “Certificações”;
  • Adicione a certificação com os dados da instituição, nome do curso, data de conclusão e carga horária;
  • Clique em OK e adicione outra certificação.

Vimos que adicionar recursos ao seu perfil faz com que se destaque na busca de empregos e aparece para muito mais pessoas nas pesquisas. De acordo com a própria empresa, um perfil completo tem 40 vezes mais chance de ser encontrado em relação a outros perfis nos quais faltam informações.

Por fim, vamos te ensinar como utilizar a plataforma de empregos e encontrar as vagas certas.

Como utilizar a plataforma de empregos do LinkedIn

Graças à sua relevância, a rede social tem sido frequentemente escolhida como a principal forma de captação e retenção de novos talentos. Por abrir a possibilidade de divulgar as vagas gratuitamente, as empresas têm aderido a este recurso.

Para encontrar as melhores vagas, o usuário deve acessar a aba de vagas no menu superior da página inicial no site e no canto inferior direito no aplicativo.

Dentro da página, o interessado pode pesquisar as vagas por:

  • Cargo;
  • Localidade;
  • Regime de trabalho;
  • Tipo de trabalho.

Após escolher a vaga, há a possibilidade de fazer a candidatura expressa, fazendo o cadastro direto pela plataforma e os dados enviados direto por e-mail ao empregador.

Ou a vaga possui o botão de redirecionamento para a página externa na qual o candidato pode fazer a candidatura. Em todos os casos, o candidato pode salvar a vaga para visualizar depois e enviar mensagem ao recrutador.

Finalmente, percebemos o quão é importante contar com o LinkedIn para fazer a network com outras pessoas interessadas pelos mesmo assuntos e interesses. Além de criar uma relação de contatos, é possível conseguir um emprego ou entrar em contato com potenciais clientes.

Para obter sucesso dentro da plataforma, é importante preencher todos os dados de perfil, escolher a melhor foto e não pensar que é mais uma rede social como as outras.

Lembre-se que a postura esperada ali dentro é de uma pessoa profissional que quer criar suas relações com outros profissionais.

Então, fica a dica: lá não é o Facebook, Instagram ou qualquer local para fazer amizades e falar coisas que não tem nada a ver com o ambiente.

Aproveite o espaço para produzir conteúdo de qualidade: poste seus projetos realizados, artigos sobre a área em que atua, faça conexões com profissionais e empresários do seu setor, interaja com eles.

Fique sempre de olho nas vagas criadas na aba de empregos, utilize todas as soluções e ferramentas e otimize a sua experiência.

É impossível não ignorar o universo de possibilidades que o LinkedIn oferece. Com mais de 750 milhões de usuários ao redor de 200 países, o projeto iniciado em 1998 para integrar os funcionários do Vale do Silício se expandiu para a maior rede profissional do mundo.

Se não fez, faça o mais breve a sua conta na plataforma e aproveite todas as vantagens que ele te oferece para o seu futuro profissional, seja como empregado ou empreendedor.

E até a próxima!

 

Deixe seu Comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Talvez Você se Interesse

- Publicidade -