HomeDireitos & Programas SociaisFGTS: o que é, calendários, como funciona e aposentadorias

FGTS: o que é, calendários, como funciona e aposentadorias

-

Em 1966, ainda na ditadura militar brasileira, foi criado o FGTS pelo ministro do planejamento do governo de Castello Branco, e desde então milhões de brasileiros foram beneficiados.

Hoje em dia, a população brasileira é composta por uma média de dezenove milhões de idosos. A grande maioria deles não pode ou não consegue mais trabalhar, sendo que apenas oito por cento deles ainda exerce algum trabalho.

Atualmente, o número de aposentados no Brasil, seja por idade ou por algum outro determinado tipo de recurso usado para obter o benefício, é uma média de trinta milhões e o número cresceu mais ainda no ano de 2021.

E isso mesmo após a reforma da previdência, que não facilitou nem um pouco a vida dos brasileiros que almejavam se aposentar.

Mas uma coisa que muitos aposentados não sabem é que eles também têm direito ao FGTS, que é um outro benefício planejado pelo governo federal que serve para garantir uma reserva de dinheiro para o trabalhador.

Fundo de Garantia do Tempo de Serviço

- Continua Depois da Publicidade -

Esse fundo nada mais é do que uma maneira que o governo federal criou para certificar algumas proteções ao trabalhador. É uma quantia financeira que é pertencente ao trabalhador, mas que é depositada pela empresa em que o trabalhador prestou serviços por um prazo de tempo.

Mensalmente, a empresa fica responsável por colocar oito por cento da comissão do trabalhador nesse fundo. E, caso o serviço prestado seja feito por alguém com vínculo empregatício de aprendizado, apenas dois por cento do holerite é depositado.

 

Dessa forma, ela ajuda a garantir o desenvolvimento de vários setores de construção civil nacional, desde a pavimentação de rodovias (reformas ou criações de novas vias), construção de conjuntos habitacionais e na melhoria do direito universal de saneamento básico de qualidade.

É muito importante também para garantir que o empregado tenha segurança financeira ao ficar desempregado ou incapacitado de exercer seu ofício.

São contribuições que melhoram a sociedade como um todo e que podem mudar a vida daqueles que passam por momentos difíceis, por isso é muito importante que se entenda o FGTS e que se busque compreender os direitos para que se tenha acesso a esse benefício.

O dinheiro fica retido na Caixa Econômica Federal, e pode ser sacado sempre que o indivíduo se encontra em situações específicas, além do desemprego.

Em que situações é permitido sacar o FGTS?

As permissões para que se faça o saque do FGTS são diversas: demissão sem justa causa, rescisão por acordo contratual; compra da casa própria; ajudar na despesa da compra de uma casa usando um consórcio; completar o pagamento de um imóvel financiado pelo Sistema Financeiro de Habitação;

- Continua Depois da Publicidade -

Também caso a empresa em que se trabalha feche; por rescisão de culpa reciproca; rescisão por fim do prazo de contrato; aposentadoria; desastres naturais; suspensão de um funcionário, independente do vínculo empregatício, por três meses ou mais ; trabalhadores com mais de setenta anos; infecção por HIV; trabalhador portador de câncer; quando um trabalhador ou algum de seus dependentes se encontrem em estado terminal; mais de três anos trabalhando sem carteira assinada.

No caso da morte de um titular de uma conta do FGTS, o dinheiro da conta é direcionado para seus herdeiros legais e isso pode ou não estar dentro da partilha de bens.

Existe também a solicitação de saque do FGTS no dia do aniversário do trabalhador. Para isso, basta que ele se dirija até uma agência da caixa no mês de seu aniversário e que faça o saque parcial do valor disponível em seu FGTS.

Antes disso, o trabalhador deve ter optado pela funcionalidade de fazer o saque no dia de seu aniversário, caso contrário o saque só fica disponível dentro do padrão tradicional, que é o de saque-rescisão.

Essa quantia fica livre para ser sacada do primeiro ao último dia do mês de aniversário do indivíduo em questão.

Como funciona o pagamento do FGTS?

Basicamente, até cada dia sete de todo mês, o contratante deve efetuar o depósito na conta do FGTS respectiva a cada trabalhador. Isso deve ser feito integralmente, todos os meses, enquanto o trabalhador estiver prestando serviços para a empresa.

Caso o depósito seja efetuado tardiamente, ou seja, fora do prazo estipulado, haverá uma espécie de multa a ser paga.

Por exemplo: João é dono de uma empresa de automóveis que possui 14 funcionários. Caso em sua empresa haja a admissão de um décimo quinto funcionário, João deve passar a efetuar, obrigatoriamente, o pagamento para seu novo contratado.

Como aumentar o FGTS?

- Continua Depois da Publicidade -

Apesar dos rendimentos do FGTS serem de três por cento por ano, existem outras maneiras de fazer com que o dinheiro presente no fundo possa ser investido para aumentar seu rendimento.

Após o corte da taxa Selic que passou a ser de 2,25%, com certeza é muito mais válido deixar com que o dinheiro permaneça rendendo no próprio fundo.

Todavia, existem muitas maneiras de fazer com que o dinheiro presente na conta passe a render mais anualmente.

Seja investindo em fundos de investimento, ações ou qualquer outra forma de rendimento que traga segurança e uma porcentagem anual maior que três por cento, é interessante que se observe bem a maneira desejada de depositar o dinheiro do FGTS para que não haja perdas.

Uma ótima maneira de aumentar o FGTS é investindo-o, após o saque, em algum tipo de renda fixa, como o CDB.

Essa é uma alternativa extremamente segura de investimento e que traz retornos maiores do que a conta poupança, o tesouro nacional e o próprio FGTS.

Para fazer isso, basta que o beneficiado pelo FGTS efetue seu saque e deposite em sua instituição financeira de confiança.

O próximo passo é buscar por uma pessoa designada por seu banco responsável por investimentos, um consultor.

Além de poder ajudar com o investimento de interesse, essa pessoa pode auxiliar o beneficiário do FGTS a distribuir melhor seu investimento em outras maneiras.

Outra boa forma de aumentar o valor do FGTS é estudando educação financeira ou contratando um agente de investimentos autorizado.

Mas, a opção mais segura, geralmente é confiar o próprio dinheiro a um banco conceituado e que esteja integrado no FGC (Fundo Garantidor de Crédito).

 

Como acessar o FGTS?

 

Para as pessoas que precisam de alguma quantia monetária ou que precisam de um certo valor para começar uma empreitada, o FGTS é uma ótima alternativa de maneira de angariar recursos, caso esteja disponível.

Para efetuar o saque, é necessário que se tenha o CPF, a carteira de trabalho ou, caso não haja serviço prestado como celetista, um currículo que marque a prestação de serviço feita na empresa, data por data.

Só que, antes de mais nada, é interessante que se tenha um cadastro no site do FGTS.

Para isso, basta acessar o site da Caixa Econômica Federal e, em seguida, clicar no ícone que tem contido o texto “para trabalhadores”.

Após isso, uma nova página aparecerá na tela do aparelho do trabalhador, que deverá clicar em “todos os benefícios” no canto inferior ao lado direito.

Após isso, aparecerão várias opções de benefícios dentro da Caixa.

Então, em seguida, deverá rolar a tela para baixo e ir até a seção do FGTS.

Em seguida, basta que clique em “saiba tudo sobre o FGTS”.

Ali o trabalhador obterá todas as informações que precisa ter sobre esse benefício do Governo federal do Brasil.

Caso essa ala do Site não leve até a opção de saque do FGTS, basta que acesse caixa.gov.br/extrato-fgts.

A partir dessa página que abrirá após clicar no link, basta clicar ceder o número de CPF ou NIS e, em seguida clicar na opção “cadastrar”.

Ali serão apresentados alguns termos do contrato de prestação de serviço que, caso aquele que está se cadastrando deseje continuar o processo, deve ler com atenção e aceitar.

Após isso, todos os dados requisitados devem ser preenchidos.

Enfim, após preencher todo o formulário, o trabalhador está prestes a terminar seu cadastro. Basta que marque o CAPTCHA afirmando que não é um robô

Por fim, uma mensagem de confirmação será enviado para a conta de e-mail utilizada no cadastro. Agora basta que seja confirmada a conta e que se crie uma senha.

Enfim, o processo de cadastro está feito.

Agora basta consultar o saldo disponível no FGTS e efetuar o saque.

Como consultar o saldo do FGTS

Primeiro, é necessário informar o CPF e a senha escolhida na hora do cadastro. Após isso, basta acessar a plataforma.

Depois, o site ou aplicativo irão solicitar três fatos sobre empregos anteriores, como por exemplo a data em que se trabalhou naquele determinado local ou a data de rescisão contratual.

Após o preenchimento, basta continuar. Se as informações sobre os empregos passados forem reais, o acesso para o FGTS estará disponível.

É muito importante que as respostas concedidas sobre os vínculos empregatícios estejam corretas, uma vez que se forem dadas respostas erradas, o trabalhador só obterá mais uma chance de responder esse questionário no dia.

Mas não há segredo: basta estar com a carteira de trabalho em mãos e checar as datas preenchidas no documento de acordo com cada emprego que teve.

Dicas de aposentadoria

Com certeza o sonho de todos os brasileiros é levar uma vida plena com relação a sua situação financeira, principalmente quando se fala da terceira idade.

Todavia, o sonho da estabilidade financeira nem sempre é atingido por todos no Brasil.

Além da falta de planejamento, educação financeira e da falta do hábito de poupar uma quantia mensalmente, os brasileiros ainda sofrem com questões previdenciárias que, cada vez mais, tendem a prejudicar aqueles que desejam se aposentar no tempo desejado ou nas circunstâncias apropriadas.

Todavia, nada é impossível quando se fala de uma aposentadoria que provenha dignidade, quando se tem planejamento, organização, o hábito de poupar e também de investir o dinheiro.

Por isso, aqui estão algumas dicas sobre aposentadoria que todos deveriam saber para tornar suas vidas mais tranquilas ao se aposentarem.

Planejamento é a chave

A previdência é uma maneira de investir no próprio futuro. Nunca se sabe o que pode acontecer, sendo um trabalhador. Por isso, é muito importante que desde cedo um indivíduo comece a fazer aportes mensais nela.

Assim, ele estará garantindo que sua aposentadoria venha da maneira que planejou: no tempo em que estipulasse parar de trabalhar.

E a melhor parte, é que não há apenas uma forma de previdência. Tanto a pública quanto a privada são meios de prover uma aposentadoria tranquila e digna de alguém que trabalhou enquanto podia.

Uma vez que se começa a contribuir desde cedo, no caso da previdência pública, o trabalhador precisará cada vez mais fazer aplicações menores mensalmente.

Fora que esse investimento nunca seria precoce, uma vez que quanto mais dinheiro retido no INSS, maiores serão os retornos futuros do contribuinte.

Pensar no futuro é um ato que muitos brasileiros não tem. Mas, para uma vida financeira saudável e independente, é necessário que se planeje desde o início da vida de contribuinte para que tudo saia dentro dos conformes desejados.

Pensar a longo prazo é a única maneira de garantir que o futuro seja mais seguro, mesmo que incerto. E o planejamento é o maior artifício que se tem para atingir isso.

Buscar especialistas no assunto ou procurar entender mais sobre aposentadoria pode contribuir para o planejamento, portanto, um grande parceiro do ato de planejar é buscar conhecimento.

Definir um objetivo

Antes de traçar qualquer meta, é muito importante ter um objetivo.

Por exemplo, se um condutor decide viajar com seu carro, ele não pode simplesmente sair sem nenhum destino final.

Caso contrário, ele ficaria andando em vão, gastando combustível sem necessidade e não chegaria, provavelmente, a lugar nenhum.

O mesmo vale para aposentadoria. É necessário que se trace um objetivo para conseguir planejar melhor onde se deseja chegar.

Pensar no tempo em que se é capaz de contribuir para o INSS, quanto tempo é possível sobreviver com a quantia que é depositada  mensalmente, se há outras formas de renda que podem garantir uma estabilidade financeira de acordo com o estilo de vida que se leva, entre vários outros critérios a serem levados em consideração para traçar melhor os objetivos.

Antes de mais nada, para os apressados em se aposentar, a impulsividade é a maior inimiga do futuro, uma vez que solicitar a aposentadoria precocemente pode acarretar problemas e imprevistos.

Por isso, deve-se ter em mente que existe um momento certo para se aposentar, basta que esteja de acordo com o que for estipulado como coerente à realidade em que se vive e a disposição de trabalhar.

Dessa forma, a aposentadoria virá no momento certo para aqueles que, desde sempre, buscaram traçar metas com relação a sua atividade econômica.

Só a previdência não basta

Para uma aposentadoria nos conformes, é preciso ir muito além dos aportes mensais na previdência.

Visto que a previdência social é um tanto limitada, é muito importante que durante o planejamento da aposentadoria, o contribuinte para o INSS tenha em mente a necessidade de ter outras formas de renda para quando estiver aposentado.

O primeiro motivo para levar em consideração o fato de que é necessário ter outras formas de geração de capital é que a previdência está sujeita a passar por reformas que, muitas vezes, podem fazer com que o contribuinte saia prejudicado de alguma forma.

Outra boa motivação para buscar outras maneiras de garantir segurança financeira na hora da aposentadoria é o fato de que o valor que pode ser obtido é limitado pelo tempo de contribuição e também por um teto que estipula o valor que será recebido, de acordo com o pagamento compulsório.

Portanto, por esses e outros motivos, é de extrema necessidade que um trabalhador tenha o hábito de investir em formas de obter renda de maneira segura e também que busque colocar uma parcela de seu dinheiro em uma previdência privada, seja ela corporativa ou individual.

Caso uma pessoa decida passar a contribuir com uma previdência privada, é interessante que saiba que é ela quem estipulará o valor de aporte, datas de saque (quando dentro da carência) e também as datas de aporte na conta de previdência

São muitas as instituições financeiras que oferecem esse tipo de serviço, e por isso o trabalhador deve buscar aquela que se enquadre dentro de seus recursos e perfil. Ou seja, escolher a instituição em que confie para garantir uma renda futura.

Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL)

Para aqueles que fazem a declaração do IR optando por apresentar gastos dedutíveis, esse plano é ideal.

Ele funciona quase da mesma maneira que a aposentadoria. São feitos aportes mensais durante o tempo em que se está trabalhando e declarando o Imposto de Renda para que, na época de se aposentar, a pessoa consiga retirar o valor acumulado.

Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL)

Já para aqueles que não fazem abatimento de gastos dedutíveis, como gastos com educação e saúde, essa é uma ótima forma de previdência privada.

Além dessas formas de previdência, existem outras maneiras de conseguir ter uma segurança financeira maior sem contar com a previdência.

Buscar formas de investimento a longo prazo; adquirir ativos e imóveis para alugar são boas formas de começar a garantir uma maneira de adquirir renda futura.

Estimar gastos futuros

Todo mundo vive em um padrão de vida. Muitos estão satisfeitos com a forma que vivem, enquanto outros querem melhorar ou mudar isso.

De toda forma, para aqueles que querem se aposentar, é muito importante que se estime o valor que é necessário para se manter um estilo de vida que está habituado ou que se deseja viver ao se aposentar.

Para isso, basta pensar em cada detalhe de cada despesa que se tem para viver da maneira que se quer.

Por exemplo, ao estimar o valor gasto para manter um estilo de vida, um indivíduo deve levar em consideração as despesas com moradia, alimentação, lazer, plano de saúde, seguro de vida entre outros possíveis compromissos financeiros que se tem certeza de que existirão

Dessa forma, o indivíduo saberá quanto será preciso para manter seu estilo de vida desejado sem passar nenhum sufoco ou precisar ficar pedindo ajuda às demais pessoas.

Geralmente, os gastos que uma pessoa aposentada tem são muito menores do que os que estão entre a população economicamente ativa.

Por isso que é interessante estimar o quanto se gasta: assim é possível saber se todos os objetivos de vida serão alcançados sem que seja necessário passar por qualquer dificuldade.

Essa é outra etapa do planejamento que é extremamente necessária para que um aposentado consiga viver bem e com dignidade.

Reserva

Então, depois de ter feito cálculos, traçado os objetivos, buscado entender mais sobre formas de investimento e outras maneiras previdenciárias de garantir renda, agora é necessário que o indivíduo coloque na ponta do lápis quanto será preciso ter em reserva para que consiga sobreviver com a renda mensal de aposentado.

Para fazer isso, é interessante que se obtenha ajuda de um contador ou qualquer outro profissional capaz de conseguir abater os impostos, taxas e juros que serão descontados.

A reserva serve como um alicerce para que o aposentado não conte somente com o valor que receberá mensalmente da previdência.

Isso é uma forma de garantir a segurança financeira e também trazer mais tranquilidade caso haja algum imprevisto que demande do bolso do aposentado mais do que ele é capaz de pagar com a quantia recebida mensalmente.

 

Poupar é importante

É quase um padrão. Todos aqueles que são tidos como “pessoas de sucesso”, levando em consideração suas vidas financeiras, têm o hábito de poupar.

E para conseguir levar uma vida de aposentado com sucesso, poupar é necessário.

Dessa maneira, otimizando o uso do próprio dinheiro no dia a dia, cortando gastos desnecessários e mantendo o hábito de poupar mensalmente, não há segredo para tornar a época da aposentadoria um momento de segurança e prosperidade.

Infelizmente, no Brasil, 66% da população não tem o hábito de poupar e, não coincidentemente, esse valor é equivalente ao número de pessoas que têm alguma dívida em seus nomes.

As pessoas que têm o hábito de poupar, geralmente conseguem ter um controle maior de suas vidas financeiras e não precisam ficar passando por situações desconfortáveis com bancos ou com alguém que lhes emprestou dinheiro.

Por isso, uma das etapas mais importantes para se aposentar é ter uma boa poupança.

 

Outros investimentos

Como dito anteriormente, somente o valor retirado da aposentadoria mensalmente não é capaz de suprir, geralmente, as necessidades de uma vida com mais segurança financeira e estabilidade.

Por isso, é muito importante que aquele que está planejando se aposentar, tenha tido uma vida voltada para o hábito de investir.

O ato de investir não somente é uma forma de procurar a obtenção de liberdade financeira, que provém várias outras formas de liberdade, como também é uma forma de assegurar ao futuro certas coisas que não se teria caso não houvesse nem passado pela mente de alguém investir.

 

Atualmente, existem muitas maneiras de investir capital próprio.

Seja em opções de investimento mais conservadoras, como o CDB, mencionado anteriormente ou a poupança; formas moderadas, como os fundos de investimento e certas ações da bolsa de valores; até as mais arrojadas, mas que são menos seguros e que podem não ser a melhor opção para garantir um futuro estável financeiramente, como é o caso de criptomoedas ou algumas ações.

Por isso, antes de investir qualquer quantia a fim de garantir um futuro melhor, é necessário que se estude onde deixar o dinheiro investido.

Para aqueles que ainda estão longe de se aposentarem, uma boa recomendação que oferece muita segurança e estabilidade são as formas de investimento que proporcionam renda fixa. CDBs e CDIs; Tesouro Direto; LCIs e LCAs;CRIs e CRAs; e letras de câmbio são boas formas de deixar uma quantia de dinheiro investido para que se busque o retorno a longo prazo.

Aportes mensais devem ser um hábito

Geralmente, aqueles que têm um dinheiro extra num mês quase não pensam em nenhuma maneira de investir ou muito menos de fazer um aporte maior na previdência.

Infelizmente isso descreve a falta de instrução financeira do Brasil, já que os recursos adquiridos são, além de dificilmente poupados ou investidos, e facilmente gastos com futilidades.

Mas, para conseguir uma aposentadoria mais tranquila, um indivíduo que montou seu planejamento deve manter o hábito de fazer aportes, tanto na previdência quanto em qualquer outra forma de investimento.

Isso porque só o hábito é capaz de trazer os retornos estimados pelo trabalhador e investidor.

Uma pessoa garantida não é aquela capaz de ter recursos para gastar, mas sim aquela que, no passado, teve a capacidade de garantir seu próprio futuro, se assegurando por meio dos hábitos e atitudes financeiras de sua vida.

Manter uma rotina de aplicações é imprescindível para uma boa aposentadoria, que esteja dentro dos parâmetros planejados pelo trabalhador.

Por isso, a constância nos aportes da previdência e a busca por estratégias de fazer o dinheiro trabalhar para si próprio são os caminhos certos para uma aposentadoria de respeito.

Rever as estratégias

Assim como todo bom plano, toda a estratégia, mesmo que meticulosamente planejada para atingir a aposentadoria, deve ser reavaliada.

Isso porque a vida é composta por uma série de imprevistos e inconstâncias que podem muito bem fazer com que um trabalhador precise resgatar alguns investimentos ou que deixe de contribuir para a previdência por um certo tempo.

Mas, antes de mais nada, os imprevistos são só uma parte do motivo principal para mudar a estratégia.

Uma boa forma de saber se está na hora de modificar o planejamento financeiro é conferindo se os objetivos de curto e médio prazo estão sendo alcançados pelo indivíduo.

Caso não, é bem provável que tenha algum desequilíbrio financeiro dentro do plano que deveria trazer mais estabilidade para seu planejador, que tanto deseja se aposentar de acordo com o que planejou.

Se existe uma dificuldade em guardar dinheiro, por exemplo, isso significa que algo deve ser mudado. Um corte de gastos, mudança no estilo de vida e rever as prioridades de como o próprio dinheiro é aplicado.

Uma boa forma de conseguir levar uma vida tranquila e ainda conseguir prezar pelo futuro financeiro é ter o pensamento que difere cada aquisição “Isso é um ativo ou um passivo?”.

Isso pode contribuir na hora de conseguir uma renda extra ou simplesmente definir se algo será mesmo comprado ou não, de acordo com a necessidade e se haverá algum retorno com isso.

Infelizmente, em muitos casso é preciso postergar a aposentadoria para alguns anos à frente.

Mas, para evitar que algo assim ocorra, basta que se tenha prestado atenção no que foi dito nesse texto e estar sempre em uma busca constante para o aprimoramento das capacidades em finanças e formas de obtenção de capital que não dependam somente do trabalho ativo, formas de adquirir renda extra, etc.

O erro de muitos é pensar somente no presente e nunca no futuro.

Sendo que o presente é representação de uma fração da vida que está constantemente prestes a passar, assim como o futuro está sempre prestes a chegar.

De toda forma, é preciso que se avalie e esteja em constante revisão a tão sonhada aposentadoria. Até porque o trabalho dignifica o homem, mas riqueza é a capacidade de usufruir do próprio tempo como bem entende.

E a aposentadoria pode facilmente prover tempo para aqueles que o desejam.

 

Deixe seu Comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Talvez Você se Interesse

- Publicidade -