HomeOutros AssuntosRastreamento Correios: como fazer? passo a passo

Rastreamento Correios: como fazer? passo a passo

-

É bem possível que você já tenha feito alguma compra pela internet ou feito uma venda da sua loja online e recebido o código de rastreamento correios. Na atual situação econômica e em tempos de pandemia, contar com uma fonte alternativa de renda é importantíssimo.

Não importa se é a compra ou venda, o produto precisa chegar ao seu destino final. Nesta hora o assunto do rastreamento Correios vem à tona. 

Esse assunto já faz parte da nossa rotina e nem percebemos o quão importante é contar com essa numeração e ter a certeza de que o produto irá chegar, de uma forma ou outra. 

Por isso, vamos dissecar sobre este assunto e trazer os detalhes mais importantes sobre este serviço dos Correios.

O que é o rastreamento Correios

É o serviço desenvolvido pela empresa brasileira de correios e telégrafos para monitorar o despacho de qualquer objeto enviado por pessoa física ou jurídica ao seu destinatário.

- Continua Depois da Publicidade -

É composto por uma sequência de 13 caracteres, sendo:

  • Duas letras, com o tipo de encomenda;
  • Nove números;
  • Duas letras no final, sempre indicando o BR.

Reconhecido como código de rastreio, dá para saber onde o seu produto está, o histórico de localização de onde passou e te informa quando estiver a caminho do seu endereço.

História do rastreamento Correios

 A introdução do rastreamento nos serviços dos Correios pode parecer algo com que a empresa tenha uma larga experiência. Mas não é bem assim.

Diferentemente da sua história, datada de 1663, o forte não era mandar objetos para as pessoas, focando a carta e o telegrama.

A maior revolução da história da empresa foi em 1969, quando ganhou autonomia financeira e administrativa para operacionalizar o serviço e foi formada a ECT (Empresa de Correios e Telégrafos).

A partir deste momento, uma revolução foi aplicada no funcionamento das entregas e envios, com a introdução do CEP, novas agências, novo centro de triagem eletrônica e o funcionamento de dia e de noite.

Novos serviços começaram a fazer parte do portfólio dos Correios, como o PAC e a carta registrada. Foi o embrião do qual nós veríamos até os dias atuais.

Com um novo centro de triagem, as cartas que tinham o registro eram separadas e tinha o método de entrega acompanhando internamente, sem acesso ao consumidor final e a quem fez o envio.

- Continua Depois da Publicidade -

Foram mais de 30 anos com este serviço sendo o único a fazer o registro de cartas. Não era um procedimento existente o envio de objetos com registro, o que causava muitas dores de cabeça a quem recebia e enviava.

Somente em 2001, com a informatização completa dos serviços dos Correios e o consequente nascimento dos serviços de e-commerce é que um novo nicho começaria a nascer e mudaria totalmente a questão da satisfação do consumidor perante o serviço estatal.

Hoje, a entrega de produtos com o código de rastreamento é imperativo e obrigatório em todos os bens enviados por pessoas físicas e jurídicas, como forma de garantir a idoneidade e a confiabilidade de que o recebedor terá o produto em casa.

Serviços que podem ter rastreamento correios

Com um sistema integrado e tecnológico, as entregas são acompanhadas de forma dinâmica e em tempo real, dando o poder à empresa de trazer novos tipos de entrega e dando opções de como o recebedor pode escolher o seu produto.

Não fiquemos limitados apenas ao PAC, o método tradicional. A empresa fornece estes serviços:

  • SEDEX;
  • SEDEX 10;
  • SEDEX 12;
  • SEDEX Hoje;
  • Mini envios Correios.

O SEDEX ficou absolutamente conhecido em meados dos anos 2000 com a forma expressa de entrega de mercadorias de forma mais rápida do que no PAC. Conseguia abranger a maioria das cidades brasileiras com boa infraestrutura com apenas algumas condições: as mercadorias deveriam ter até 50 Kg e atendiam apenas nos dias úteis, de segunda a sábado.

Mas no fim da década dos anos 2000 os Correios ampliaram o serviço de rastreio e implementaram as variações, como o SEDEX 10 e o SEDEX 12.

Ambos têm a mesma dinâmica, o que lhes diferencia é o horário máximo em que o objeto deve ser entregue.

- Continua Depois da Publicidade -

As entregas devem ser realizadas até às 10h ou ao meio dia do dia seguinte ao que foram postados. Não estão disponíveis para todo o país, contando com uma rede de cobertura mais específica, concentrada nas grandes e médias cidades do Brasil.

Da mesma forma, o SEDEX Hoje possui uma missão ainda mais desafiadora: entregar o produto postado até as 10h da manhã no mesmo dia com todo o rastreamento completo.

Por exigirem toda uma logística de pessoal e estrutura, estes serviços são oferecidos à parte e com a cobrança mais alta.

Por fim, tem o serviço de mini envios do próprio correios, pensado diretamente para pequenas mercadorias enviadas, no qual podem ser entregues em até 12 dias e funciona somente nos dias úteis, como o PAC.

Como fazer o rastreamento correios dos pedidos

Caso nunca tenha mexido com esse assunto, a dúvida pode existir se é muito complicado operar e saber como está andando a entrega ou o envio do seu pedido. Mas a grande vantagem de todo este serviço é que as etapas conseguem ser acompanhadas com bastante facilidade.

Vamos dividir as orientações em duas formas:

Para quem envia

Se você está investindo no comércio eletrônico e no varejo, é importante contar com os serviços dos correios. Antes, a própria empresa fornece a possibilidade de montar parcerias que permitem com que os envios possam ser realizados com mais rapidez e sem a necessidade de sua empresa ir até a agência e fazer o envio.

Mais tarde, vamos te explicar como fazer.

Agora, o que deve se seguir é o seguinte:

  • Leve todos os pedidos realizados na sua loja já embalados em papel pardo e com a etiqueta de envio, tanto faz se for por Mercado Livre, OLX, Enjoei, etc.;
  • Na própria etiqueta consta um código de barras já inserindo o código de rastreio. Na entrega, o atendente fará a leitura e a inserção da carga dentro do sistema;
  • Se não for por nenhum tipo de e-commerce próprio, o cliente deve levar o pedido com as informações e solicitar o envio com o rastreamento para acompanhar e informar ao cliente;
  • Ao final, o atendente irá lhe entregar o cupom fiscal com o valor a ser pago no ato ou pago na hora da entrega, a depender de como foi definido com o cliente. No caso dos e-commerces, este valor já está embutido no pagamento e é descontado do vendedor a cada pedido realizado.
  • No ato da compra, os e-commerces já disponibilizam o código já cadastrado ao cliente. Caso isso não aconteça, é função do vendedor informar o código para que o mesmo possa proceder ao acompanhamento.
  • Com o código em mãos, é só acessar o hotsite dos correios e informar no campo à esquerda o código recebido. Assim que clicar em Enter, uma nova janela se abrirá e as informações sobre sua entrega estarão descritas.

Falamos especificamente das entregas a partir do comércio eletrônico, mas podemos incluir o código de rastreamento em cartas, o que deve ser solicitado na agência pelo remetente, ao qual paga um valor adicional pelo serviço.

Sistemas de entrega

Antigamente, só dava para enviar o produto, ficar acompanhando o rastreamento Correios e torcer para o produto chegar em mãos. Mas a própria empresa começou a mudar essa sistemática e otimizar as suas operações.

Além de entregar no seu endereço, com toda a identificação necessária dos carteiros e entregadores SEDEX, dá para fazer entregas mais dinâmicas e de acordo com a localidade do destinatário.

Postagem Restante Caída

É quando o destinatário não possui distribuição domiciliar ou por uma sequência de entregas não realizadas. O produto fica disponível em uma agência mais próxima no prazo de 7 dias para retirada com o documento oficial.

Postagem Restante Pedida

Neste caso, o destinatário pode solicitar a entrega do seu pedido diretamente até uma agência dos correios com sigilo e privacidade.

Entrega no vizinho

Esse modelo é ideal para quem fica fora de casa e não consegue receber os pedidos de forma presencial. Quem viaja muito e fica fora de casa acaba aderindo a este serviço.

Para isso, é necessário que o remetente coloque no campo do endereçamento o vizinho ao qual estará autorizado a receber a mercadoria e informe no ato do envio. No caso do remetente estar ausente, o entregador irá até a casa do vizinho e fará a devida entrega.

Para efeitos de vizinho, é considerado aquele que mora à esquerda, à direita, na frente do destinatário ou morando no mesmo edifício.

Entrega interativa

Mais do que ficar apenas com o código de rastreio, os correios informam por mensagem de celular os passos da entrega e quando irá sair para o cliente. Na postagem, o remetente deve informar que deseja ter este serviço.

Ao destinatário, é só acessar a página dos correios de rastreamento e escolher a opção “Receber por SMS”. Ao cadastrar o número, ele receberá automaticamente as informações a cada vez que for processado os dados.

Se precisar cancelar o envio, no rastreamento existe a opção de “Suspender a entrega” e seguir as orientações.

O rastreamento é seguro?

Sim, ele é acompanhado em tempo real e as informações ficam armazenadas em sistema. Caso haja alguma intercorrência, como roubo durante a entrega ou problemas de restrição de endereço, os correios entram em contato e procedem aos trâmites de ressarcimento juntamente com a loja de comércio eletrônico ou diretamente com o remetente.

Posso rastrear qualquer encomenda?

Sim. Qualquer mercadoria vinda do Brasil ou do exterior pode ser rastreada e que passam pelos Correios, não importa se a origem ou o destino vier daqui.

Benefícios do rastreamento Correios

Antes, era muito complicado enviar algo e não ter a certeza que o produto chegaria em mãos ao destinatário. Com o rastreamento, isso mudou da água para o vinho.

Os benefícios advindos da possibilidade de se rastrear os pedidos são incontáveis. Dentre eles:

  • Comodidade;
  • Transparência;
  • Assistência em caso de sinistro;
  • Informações em real time;
  • Garantia da entrega realizada por um órgão confiável.

Não é à toa que o volume de entregas passa da casa de mais de R$10 bilhões de reais anualmente e com perspectiva de aumentar cada vez mais, diante do avanço desta modalidade de serviço.

Antigamente, se dizia que não era lucrativo trabalhar com isso. Mas a cada ano em que cresce o e-commerce no Brasil, mais os correios conseguem faturar e dar conta de operar no azul.

 Vamos falar mais sobre isso abaixo.

Quanto fatura o serviço de entregas

Hoje, para uma empresa estatal, quanto mais ela tiver acesso e possibilidade de realizar serviços considerados privados, melhor.

Para efeitos de comparação, o faturamento anual dos Correios passa de mais de R$19 bilhões, chegando na casa dos R$20 bi. O grosso desse valor vem através do serviço de entregas via comércio eletrônico, ou e-commerce.

No ano passado, com a pandemia e a restrição de circulação, o mercado eletrônico disparou em vendas e, naturalmente, obrigou com que os correios tivessem que trabalhar mais ainda para dar conta de entregar os milhões de pedidos realizados. O destaque veio na alta de encomendas feitas pelo rastreamento correios ao exterior.

Os dados de 2020 ainda não foram divulgados, mas a previsão é que o faturamento bata todos os recordes desde 1977, quando a empresa se tornou 100% pública.

Mesmo com todos estes dados positivos, ainda se discute bastante sobre a necessidade de privatizar os Correios. 

Privatização: disputa que nunca acaba

Por ser um serviço estatal, os Correios recebem uma enxurrada de reclamações e de subjugamentos acerca do nível de qualidade com o qual realiza seus serviços. Muito se aponta ao funcionalismo público a pecha de trabalhadores acomodados, sem nenhum compromisso com a qualidade e que não podem ser demitidos do serviço público.

Somado a essa reclamação acerca do serviço prestado, há a questão do quanto ela lucra anualmente aos cofres públicos. Em anos anteriores, a empresa sempre fechava o ano corrente com prejuízos altos, muito por conta de serviços deficitários e alto custo do serviços de previdência próprios da empresa.

Diante desse quadro, sempre esteve em discussão e apontado por liberais a necessidade de desestatizar o serviço de correios e telégrafos.

Para os defensores desta ideia, o objetivo era focar em abrir a concorrência para as empresas do exterior e permitir com que os preços baixassem.

De acordo com economistas e analistas, com maior disputa entre as pessoas, os preços e custos poderiam diminuir e daria mais liberdade ao cliente escolher com quem enviar os produtos.

Para quem não apoia a privatização dos correios, com um serviço já defasado e a logística complicada que temos, o interesse em operar no Brasil seria diminuto, não reduziria os preços e traria mais desigualdade.

O argumento é que, com a operação dos correios, o envio de produtos para as regiões mais afastadas do centro sul, com logística mais apropriada, já é uma operação cara e deficitária.

Pior seria com a concorrência: sabendo desses problemas logísticos e o custo alto de envio e operação, as empresas deixariam de atender estas regiões, criando o grave problema de exclusão dessa população.

Privatização: E os funcionários?

Esse é outro ponto de discussão: O que fazer com os servidores públicos já lotados nos Correios? Ainda não haveria uma decisão enfática do que seria feito, de acordo com os defensores da privatização.

Considerações levam à solução de levar estes trabalhadores para outros postos chave da administração pública ou a realização de um PDV (Programa de Demissão Voluntária) mais robusto, em que os valores pagos seriam superiores ao que teriam de direito.

Já quem defende a não privatização defende que seria um erro imperdoável do estado diante do fato de que o sucesso e o respeito ainda existentes pela sociedade em relação a empresa é por conta do trabalho e dedicação de carteiros, atendentes e funcionários de logística e expansão.

Muito se discute e alguns projetos voltados para a privatização estão em discussão atualmente pelo Governo Federal. Segundo falas do Ministro da Economia, onde os Correios estão subordinados, é que a empresa está incluída no programa de desestatização do Governo e a sua venda está prevista para 2022, ainda sem uma data precisa.

Segundo a administração pública, a empresa sendo operada pela iniciativa privada seria modernizada e teria toda a possibilidade de operar com um escopo de serviços além do que já é trabalhado atualmente.

E reduziria, com alta margem, os prejuízos causados ao erário público pela operação dos trabalhos e acabaria com problemas crônicos, como os prejuízos anuais pelo programa de previdência dos correios.

Além disso, se discute também o que seria feito com os funcionários. Para evitar que a empresa fosse privatizada, diversas manifestações e greves foram convocadas e realizadas de forma a ressaltar a importância dos Correios na vida da sociedade.

Mesmo com toda essa discussão, os Correios continuam trabalhando incessantemente para entregar milhões de mercadorias em todo o país com as limitações logísticas e de pessoal.

Enquanto isso, a empresa precisa dar conta de operar sem trazer grandes prejuízos ao erário público e operar com o máximo em qualidade, facilitando a vida do consumidor, das empresas e da sociedade como um todo. 

Por isso, mesmo com os problemas históricos de qualidade, é importante contar com os serviços de rastreamento Correios e ter mais segurança na hora de receber seus produtos.

Esperamos que você tenha gostado deste conteúdo. Até a próxima!

VEJA TAMBÉM: Código Penal Brasileiro: tudo que você precisa saber

Deixe seu Comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Talvez Você se Interesse

- Publicidade -