HomeRedes SociaisFacebook: como funciona, história, curiosidades e filmes

Facebook: como funciona, história, curiosidades e filmes

-

O Facebook é uma rede social criada no ano de 2004 por Mark Zuckerberg. No início, o objetivo principal da rede era configurar o espaço em que as pessoas se encontravam para dividir opiniões. Atualmente, ele é usado com muitos objetivos diferentes e até mesmo como espaço de divulgação das empresas e da própria marca. 

Com uma série de técnicas conhecidas como copywriting e storytelling, o usuário passa a ter uma gama de possibilidades e lucros dos mais variados. A rede já é usada por empresas de marketing que desejam divulgar os produtos e até mesmo por brechós e médicos. Todos os públicos são localizados em um único local. 

A Visão Confiável, por exemplo, é uma empresa de redação que desenvolveu uma série de técnicas para que os clientes e empresas conseguissem desenvolver e ganhar espaço nas  redes sociais. De acordo com a Visão, a cada segundo são milhares de cliques e, ao usar técnicas e movimentos específicos, consegue-se fazer com que uma empresa seja conhecida por todo o mundo. 

Qual é a marca, hoje em dia, que não possui um espaço disponível nesses meios? A Amazon, Americanas, Mercado Livre e todas as outras mais famosas já criaram uma fanpage para divulgar os serviços e produtos. 

O Facebook deixou de ser um espaço de apenas conversar e conhecer pessoas. A situação é mais embaixo e fez com que filmes e séries fossem lançados ao abordar sobre os vícios, a interferência da rede nos relacionamentos e muitos outros aspectos. 

- Continua Depois da Publicidade -

Portanto, neste artigo, a Flame Content pretende abordar mais sobre como divulgar, como ganhar curtidas e qual a história do Facebook. Você poderá saber mais sobre essa rede que vem ganhando cada vez mais espaço em escalas mundiais. Sendo assim, continue a leitura para saber mais sobre!

FacebooK: história

redes-sociais

Como já foi citado anteriormente, o Facebook surgiu no ano de 2004 com o intuito de compartilhar experiências. Com a chegada da internet e dos meios de entretenimento, cada vez mais pessoas decidiram criar contas e acessar. 

Com a expansão dos círculos universitários, outros públicos começaram a sentir atração pelo Facebook e novas atualizações foram surgindo. Por exemplo, em 2021 houve a integração do chat com o Instagram e os desenvolvedores prometeram novas facilidades que antes não era possível. Dessa forma, pode-se centralizar todas as informações em um único meio e, consequentemente, ocupar menos espaço ao baixar aplicativos.

A atualização estava em fase de testes desde o mês de setembro de 2020 em outros países. Com o passar do tempo, foram adicionando efeitos e tirando outros para melhorar a experiência dos usuários. 

Outro ponto é que todas as atualizações são estudadas por meses porque envolvem o agrado dos usuários para que eles continuem ativos. Várias funções, que antes não existiam, começaram a fazer parte da rotina do Facebook, como é o caso dos Status que permitem adicionar fotos, músicas e até mesmo os vídeos. 

Facebook ADS e porque é tão viciante

O Facebook tem uma rede chamada de ADS. Dessa forma, todos os usuários recebem uma série de anúncios e propagandas, seja como decorrer das imagens ou vídeos. Geralmente, essas propagandas são de assuntos que o usuário costuma pesquisar. 

Ou seja, imagine que você foi visitar o Estante Virtual e decidiu que iria comprar alguns livros, mas deixou todos no carrinho. Após algumas horas, irá começar a ver anúncios desses mesmos livros como se fosse uma espionagem. 

- Continua Depois da Publicidade -

Isso ocorre porque a empresa paga para o Facebook mostrar os seus produtos somente para os clientes em potencial.  Dessa forma, sempre que o cliente clica no anúncio ou até mesmo passa por ele sem clicar, a rede social ganha alguns centavos que, neste caso, seriam pagos pela Estante Virtual citada anteriormente. 

Imagine agora isso ocorrendo em escala mundial. É muito dinheiro envolvido e praticamente todas as empresas pagam para que a rede social mostre anúncios dos seus produtos. 

Dessa forma, o Facebook tem que passar por atualizações constantes para que consigam descobrir a melhor forma, e mais viciante delas, de manter todos os usuários ativos porque isso também envolve o dinheiro para a rede. 

Qualquer pequena alteração pode influenciar

O intuito do Facebook é ser o mais viciante possível para que as pessoas se mantenham ativas e vendo anúncios no decorrer da navegação. Sendo assim, tiveram que desenvolver ideias para deixar a rede mais atrativa.

Para isso, ficam meses estudando uma simples atualização para saber qual será a reação dos usuários quando ela chegar. Um exemplo disso são as notificações. 

Supondo que você comentou na foto de uma pessoa qualquer que tem adicionado. Essa pessoa, então, curtiu o seu comentário. Geralmente, o usuário terá uma notificação na barra de notificação. Dessa forma, quando a pessoa ligar a tela, verá a notificação e ficará curiosa, tendo a vontade de saber o que houve e, acessar novamente o aplicativo.

Dessa forma, quanto mais as pessoas acessam o aplicativo enquanto ele estimula a curiosidade com notificações e sons, mais recebem por isso, já que mais pessoas estariam entrando novamente. 

Quem nunca ouviu alguém falar que precisa desligar a wifi para não perder o foco nos estudos porque acessa as redes com o mínimo som dado por elas?  O objetivo é ser viciante e, consequentemente, realizar cliques e visualizações que serão convertidos em dinheiro.

Rede social diminuindo o alcance

- Continua Depois da Publicidade -

Até tempos atrás, pessoas com menos de 18 anos não poderiam ter acesso já que a rede também continha assuntos falados por adultos como política e sexo. Em 2020 para 2021, com Trump e Bolsonaro levantando insatisfações nas redes juntamente com brigas online, o Facebook argumentou que iria diminuir a frequência de visualização dessas plataformas.

Bolsonaro estava sendo acusado pela esquerda sobre os gastos com o cartão corporativo que chegaram a mais de R$ 1,8 bilhões somente em alimentos para as Forças Armadas.

Consequentemente, ambas as ideologias- tanto direita quanto esquerda – começaram a brigar entre si e houveram centenas de denúncias por danos morais. O presidente também compartilhou, no Facebook, uma série de notícias falsas que passaram a ser denunciadas. 

Já no caso do Trump, algo semelhante ocorria: os Estados Unidos já passavam de 400 mil mortes sobre a Covid 19 e havia muitos conflitos entre os negacionistas e cientistas. 

Foi assim que o Facebook, em vez de se tornar uma rede social de compartilhamentos de informações, fotografias e experiências, passou a ser acusado de permitir que notícias falsas e conspiracionistas fossem ao ar.

Os conflitos políticos aumentaram até que a plataforma anunciou que iria diminuir todos os alcances de páginas sobre política ou ideológicas, inclusive de políticos brasileiros ou norte-americanos. 

Momento de discutir ideologias

O Facebook é um dos principais meios de conhecer pessoas de todo o mundo e trocar ideias dos mais variados assuntos. Nos últimos anos, entretanto, está havendo maior enfoque para a política.

A crise da Covid 19 intensificou a situação em que a oposição criticava o presidente por ser genocida e negacionista, o que teria permitido mais de 300 mil mortes em pouco mais de um ano. 

Apesar de estar tentando combater os compartilhamentos de notícias falsas, o Facebook ainda apresenta grande volume das mesmas. O aconselhado neste caso, para evitar bloqueios nas rede, é sempre pesquisar qual é a veracidade das notícias em sites mais conhecidos como Manchetes do Dia, UOL, G1 e outros do gênero. 

Com cada vez mais participantes e o excesso de informações, tornou-se mais que necessário desenvolver o senso crítico e entender quais os problemas de compartilhar qualquer tipo de informação.

O Facebook também fez com que os cybercrimes ocorressem e eles são os mais variados: desde o bullying e danos morais, até mesmo a aplicação de golpes e sorteios falsos que pedem dados. Dessa forma, antes de informar os dados, é necessário se certificar de que são lojas confiáveis. 

Oportunidade de conhecer pessoas que gostam do mesmo assunto

O Facebook dá aos usuários a oportunidade de conhecer pessoas que gostam do mesmo assunto e possam trocar experiências satisfatórias sobre. 

Por exemplo, para aqueles que gostam de livros, existe o Clube do Livro. Ele é fechado, ou seja, permite que os usuários publiquem  e comentem sem que os amigos do Facebook vejam (a não ser aqueles que já estão no grupo, ou fórum). 

Há ainda, por exemplo, a oportunidade de conseguir empregos ou comprar bens novos e usados ao usar e fazer parte de grupos de trocas. As oportunidades são as mais variadas e permitem que o usuário faça amigos sem precisar se expor.

Um dos fatos que mais estão chamando a atenção é a possibilidade de publicar textos e fotos de forma anônima dentro dos grupos. Um exemplo mais comum é o grupo sobre Relacionamentos Abusivos. 

Nele, pode-se pedir orientações sobre o relacionamento e até mesmo expor casos sem mostrar o nome ou perfil, tudo feito de forma anônima para que o indivíduo possa receber apoio sem que outras pessoas visitem o perfil ou tentem perseguir.

O usuário consegue garantir, de forma anônima, que não terá o perfil “perseguido” por outros membros. Jair Bolsonaro já sancionou uma lei em que perseguir e stalkear não seria crime. Mesmo assim, a perseguição em excesso pode causar processos políticos. 

Como ganhar seguidores no Facebook da empresa?

facebook ads

Para ganhar seguidores no Facebook, o usuário deve colocar em prática uma série de ações. O logaritmo prevalece aqueles pessoas que são ativas. Ou seja, que investem um bom tempo comentando, compartilhando e curtindo coisas. Isso ocorre porque o logaritmo entende que essa pessoa é capaz e plausível de gerar conteúdos relevantes e manter a rede ativa em relação aos anúncios. 

Atualmente, a rede possui mais de 500 milhões de internautas. Em 2006, muitos trabalhadores de empresas – além de universitários – podiam fazer cadastros. Acredita-se que as interferências do Linkedin fizeram com que aceitassem em pró de possuir mais usuários. 

Como já citado anteriormente, muitas empresas e pessoas conseguem divulgar serviços e marcas através do Facebook. Contudo, para isso ocorrer, é necessário colocar em prática algumas técnicas que estão, inclusive, sendo aplicadas por profissionais de propaganda e marketing.

Portanto, continue a leitura e aprenda a como divulgar as redes sociais da sua marca e vender ainda mais! Vale ressaltar que algumas técnicas também podem ser utilizadas para o perfil pessoal. 

1. Publicações públicas

Caso deseja alcançar o máximo de pessoas no Facebook, deve mudar a privacidade de suas publicações para o modo público. Isso porque, se outra pessoa compartilhar, ninguém conseguirá ver. 

Permita que outros compartilhem e que a sua publicação seja vista. Uma dica é abordar sobre conteúdos polêmicos no seu ramo. Dessa forma, os seguidores, que já gostam do assunto, irão compartilhar e atrair mais pessoas.  Publicar assuntos polêmicos mostra que o perfil é atualizado e sempre se mantém com novidades e novas aprendizagens. 

Uma outra dica para ganhar seguidores e curtidas no Facebook é fazer parte de grupos que abordam sobre o mesmo tema que seu trabalho. 

Por exemplo, imagine que faz ovos de páscoa com temas de livros. Você pode fazer parte de grupos e fóruns que falam sobre ovos de páscoa e assim, irá compartilhar os posts com ideias novas. Dessa forma, os outros membros – que também gostam de chocolate e de falar sobre o assunto – irão curtir a publicação e postar nos perfis.

Essa dica é crucial já que se deve buscar pelo público interessado e em potencial. Não adianta, por exemplo, compartilhar sobre ovos de chocolate em grupos que falam sobre hardware e software justamente porque eles estão interessados em computadores, que é um nicho completamente diferente. 

2. Peça para pessoas seguirem o perfil

Outro passo é fazer parte de grupos de pessoas interessadas no assunto e pedir para que elas sigam o perfil. Para isso, você pode visitar grupos de Whatsapp e Facebook que falam sobre o serviço que presta. 

Ou então, há ainda a oportunidade de pedir a ajuda para parentes e amigos. Mande o link da sua página do Facebook no grupo de amigos e peça para que eles compartilhem. 

Vale ressaltar, entretanto, que essa dica serve apenas para pessoas conhecidas. Não chame desconhecidos nas redes sociais para pedir esses favores porque pode acabar sujando o nome da marca. 

3. Foto é essencial no Facebook 

A foto é essencial no Facebook, seja ela dos seus produtos ou a logomarca de sua empresa. O primeiro passo antes de começar a divulgar a fanpage é ter uma logo: ela deve ser nítida e original. Caso não tenha muitas ideias sobre design, ainda há a possibilidade de pedir ajuda para especialistas no assunto através de plataformas de freelancer como a 99 Freelas e Workana. 

Peça para que ele crie algo original, novo e criativo. É a logomarca que irá marcar a presença da empresa na mente do cliente. Sempre que se pensa em McDnalds se tem a imagem da logo na mente e ela é simples, mas inesquecível e marcante. 

Durante a criação, deve-se fazer uma pesquisa de mercado para entender como deve ocorrer o uso das cores. Isso porque elas possuem um certo padrão de uso. Por exemplo, dentistas e médicos costumam usar o azul ou branco, cores mais leves. Lanchonetes que vendem cachorro quente ou x-salada costumam usar vermelho, laranja e amarelo porque as cores quentes estimulam o consumo.

Após criar a logomarca e deixar a mesma como foto de perfil, deve-se pensar em formas de como criar um portfólio. Um portfólio nada mais é que uma “pasta” em que você pode expor os seus serviços. 

Imagine que vende bolos e possui uma pequena fábrica em casa. O seu portfólio deve ser as fotos dos melhores produtos que já criou. Por isso, como o cliente irá se basear por eles, devem ser fotos de qualidade, bons ângulos e nitidez. Invista também em um fundo que combine com o bolo para que haja o equilíbrio das cores que influenciam a psicologia. 

4. Seja relevante

Outro ponto de destaque para receber a atenção desejada nestas redes é ser relevante. Por isso, é extremamente importante compartilhar assuntos que são tendência e polêmicos no seu nicho. 

Por exemplo, imagine que possui uma loja de tecnologia como MEUPC.NET e lançou uma nova atualização polêmica do Facebook. Seria interessante falar sobre isso porque os usuários podem compartilhar e a rede social entende como se o tema fosse uma tendência. 

Outra dica é ser ativo. Sempre invista em comentários, curtidas, postagens e tudo o que puder. O logaritmo sempre acaba dando mais alcance para as pessoas que estão sempre online. 

5. Use o Storytelling

O Storytelling é uma técnica utilizada no marketing digital e já é presente na história humana desde que o fogo foi descoberto e se uniram em volta dele. O contar histórias. Contar histórias é motivante quando realizado de forma adequada. 

O ideal, nestes casos,  é aprender a como contar. O passo número um é entender como funciona a mente dos seus seguidores. Após saber exatamente o que eles pensam e quais são os objetivos, é necessário pensar em formas de atingir o público ao usar como arma os pontos fracos.

A Coca Cola, por exemplo, cria campanhas de fim de ano em que a família está reunida e passa uma breve história na propaganda. Isso, indiretamente, causa identificação porque o natal brasileiro reúne toda a família e todos costumam consumir refrigerantes. 

Deve-se saber como vivem os clientes e até mesmo qual a renda mensal deles para saber como estruturar estratégias que causem gatilhos, sejam eles de identificação ou de fim de estoques. 

Há muitos vídeos no Youtube que ensinam todo o passo a passo de como aplicar e também existem cursos. Caso tenha dúvidas, pode entrar em contato com agências para receber mais recomendações sobre o assunto.

6. Copywriting também é bem vindo

O Copywriting não deve ser aplicado por qualquer pessoa. Ele envolve persuasão e técnicas de gatilhos.  Uma das principais características é ser criativo para tentar vender um determinado produto. 

Em um mundo em que cada vez mais as empresas competem por um espaço no coração dos clientes, deve-se pensar em formas de conquistar isso da melhor maneira. Use metáforas, eufemismos, comparações e todas as figuras de linguagem que a sua criatividade permitir. 

Para começar a aplicar na escrita, deve-se lembrar que o português deve ser coerente e criativo. A linguagem deve ser acessível ao público. Por exemplo, ao escrever um post ensinando como calcular matriz para estudantes do ensino médio, o profissional deve usar termos conhecidos e que sejam fáceis de compreender. 

Outra dica é: sempre que possível, utilize termos que ligam frases a outras, tais como, portanto, consequentemente, dessa forma, sendo assim, ademais, mas e muitos outros. 

O excesso de informações, apesar de parecer positivo no começo, acaba sendo prejudicial porque o público que está no Facebook deseja informações rápidas. Dessa forma, ao encher com um texto muito extenso, o leitor pode ficar cansado e buscar por outras páginas mais objetivas.  Para resolver a situação, pode usar os tópicos de forma resumida, com uma ou duas linhas no máximo.

7. Social Media

Se a sua empresa não tem tempo para ficar horas e horas interagindo com os clientes, pode ainda optar por um profissional que faça isso. Um social media é responsável por cuidar das redes sociais de Instagram, Linkedin e Facebook.

O especialista deve ficar encarregado de criar textos, responder comentários, postar fotos e tudo o mais. O lado positivo é que o Facebook consegue mais curtidas e tem um especialista que cuida do seu lugar.  Assim como um design, eles podem ser encontrados em sites específicos e até mesmo em grupos de empregos do Facebook.  

Com um social media, o perfil cresce ainda mais rápido já que o profissional estará dedicado a estar ali durante todos os instantes. Outro ponto é que eles costumam responder a comentários. Dessa forma, auxilia para que o cliente se sinta atendido pela loja ou marca já que terá mais diálogo. 

Atualmente, o diálogo e a conversa com o cliente são fundamentais. Ele deve se sentir aceito, independente da cor, religião e até mesmo orientação sexual. É exatamente por isso que as maiores marcas incluem as minorias nas campanhas de marketing: é uma tentativa de abranger ao máximo as pessoas. 

Séries e filmes sobre o Facebook

A revista Galileu publicou uma série de dicas e filmes para que os internautas conseguissem entender melhor sobre como funciona o Facebook e as redes sociais. 

Uma das opções recomendadas é Terms and Conditions May Apply que foi criado no ano de 2013. O documentário mostra como funciona a manipulação de dados nestes ambientes e como ocorrem as atualizações. O filme é dirigido por Cullen Hoback.

Há ainda o Black Mirror que, apesar de não abordar diretamente sobre o Facebook, abrange a tecnologia no todo. Dessa forma, são vários capítulos separados e que o internauta pode assistir de trás para frente nas temporadas e mesmo assim não sentirá mudanças porque são independentes.  

Black Mirror retrata a forma como a tecnologia pode influenciar os seres humanos e suas relações. O sexo passa a ser virtual porque é mais prazeroso e sem defeitos. As amizades e eventos podem ocorrer por um computador e é ele que define quando alguém pode ser demitido de uma empresa somente pela popularidade nas redes. 

A série trata sobre uma realidade que é cada vez mais comum na vida humana e mostra, de forma obscura, como o Facebook e outros ambientes podem alterar as nossas relações. 

Facebook: um mundo além das descobertas

O Facebook, como é possível notar, vai além de uma simples rede para universitários que foi criada no ano de 2004: ela envolve muito dinheiro e investimento. Todas as empresas já a utilizam como forma de realizar o marketing e vender ainda mais os produtos. Já existem agências de publicidade que são especialistas no ADS.

Outro ponto, além da divulgação e da fama, é que ele denuncia realidades diferentes. Cada vez mais é possível ter acesso a debates políticos em que os usuários podem analisar os mais variados ângulos e, consequentemente, mudar e moldar as opiniões. 

 O feminismo, causas negras e homossexuais já são assuntos cada vez mais aprofundados. Críticas à sociedade são cada vez mais comuns e já existem páginas próprias para isso, como é o caso da Quebrando o Tabu.  

Apesar do excesso de informações presentes na plataforma, o Facebook luta diariamente para combater as notícias falsas e conflitos que envolvem crimes de danos morais. O intuito é deixar, a cada dia mais, um ambiente propício para a troca de informações e experiências. 

Além de compartilhar experiências como a ida a um café, agora é possível denunciar casos e entender a realidade do outro. Outro ponto que merece ainda mais destaque são os grupos sobre os mais variados assuntos, o que permite que os usuários façam amigos e interajam somente com pessoas interessadas no mesmo assunto que ele. 

O Facebook promete crescer de forma ainda mais satisfatória e abranger milhões de pessoas a mais. Diariamente a plataforma realiza mudanças para melhorar a experiência de todos os usuários.  

Leia também: Whatsapp: história, curiosidades, bugs e atualizações

3 Comentários

Deixe seu Comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Talvez Você se Interesse

- Publicidade -