HomeEducaçãoAno bissexto: Entenda tudo sobre esse fenômeno

Ano bissexto: Entenda tudo sobre esse fenômeno

-

O ano bissexto são aqueles anos que possuem um dia a mais. Além dos 365 dias que temos normalmente durante um ano, existe esse fenômeno que faz com que devido a alguns cálculos que são feitos pelo movimento de transação da Terra, de tempos em tempos o ano passa a ter um dia a mais.

Esse termo foi criado em 238 a.C, no Egito, mas passou a ser adotado em Roma apenas em 45 a.C, por Júlio César, que era o imperador naquela época. O Imperador fez um pedido a Sosígenes, que era astrônomo em Alexandria, para que desenvolvesse um calendário, levando em consideração o tempo de translação da Terra e com isso, foi possível concluir que o planeta demora além dos 365 dias, mais 5 horas, 48 minutos e 56 segundos para dar a volta completa ao redor do sol.

Com isso, o astrônomo precisou aumentar um dia no calendário a cada quatro anos, para que essas horas do tempo de translação não fossem perdidas, e assim o fenômeno do ano bissexto passou a ser implementado no calendário. Para entender mais sobre isso, continue lendo.

ano bissexto

Ano bissexto: O que é?

O ano bissexto é um fenômeno determinado pelo calendário juliano, que usa um dia a mais a cada quatro anos, para compensar as horas a mais que a Terra leva para dar a volta em torno do Sol.

- Continua Depois da Publicidade -

A origem do termo se dá devido a contagem regressiva dos dias e como ela era feita para incluir nos calendários antigos. O dia adicional que é feito no ano bissexto foi incluído no mês de fevereiro, por determinação de Júlio César devido a repetição do sexto dia antes das calendas (1º dia do mês) de março. Sendo assim, era repetido o dia 24 de fevereiro, duas vezes seis, por isso o nome bissexto.

Naquela época o calendário era baseado seguindo as fases da Lua, tendo, no entanto, 304 dias que eram distribuídos em 10 meses apenas. Sendo 6 meses com 30 dias e 31 no restante. Conforme os anos foram passando e os estudos sobre os planetas foram acontecendo, muito se perguntava e se estudava sobre o tempo do movimento da Terra ao redor do Sol. Percebeu-se então que os cálculos não eram exatos já que a terra levava 365 e mais algumas horas para concluir essa missão.

E essa diferença deveria ser compensada no calendário de alguma maneira para que essas 6 horas “perdidas” todos os anos, pudessem ser restauradas em um dia a mais a cada quatro anos. Já que 6 x 4 = 24 (horas). Foram os romanos que decidiram que esse dia deveria ser acrescentado em fevereiro, por ser o mês mais curto do ano.

A recuperação desse dia perdido pelo tempo de translação da Terra, é extremamente importante. Caso ele não existisse, ou nenhum desses cálculos tivessem sido feitos e nada no calendário mudasse, os anos terrestres seriam complicados e totalmente descompassados.

Pela falta de sincronia, as estações ficariam sem sincronia. Para se ter uma ideia, sem o ano bissexto, de 700 em 700 anos, o natal seria durante o verão no Hemisfério Norte e no Inverno no Hemisfério Sul. Totalmente invertido de como acontece atualmente.

A mudança dos calendários de juliano para o gregoriano, foi essencial para que uma nova visão fosse dada, incluindo muitos cálculos e ciência, para melhorar o deixar a contagem do tempo o mais realista possível.

Com a nova matemática, o ano bissexto passou a ser calculado e computado para acontecer a cada 4 anos. Porém, com o passar do tempo, alguns eventos fixos começaram a acontecer em datas não correspondentes, como é o caso do início das estações. Por esse motivo, novas fórmulas foram criadas para que os anos pudessem ser calculados de maneira diferente para ser o mais realista possível.

29 de fevereiro

Tabelas de anos

- Continua Depois da Publicidade -

O ano bissexto existe há muitos séculos e por isso, criar uma tabela de todos os anos seria algo muito longo, já que o fenômeno acontece a cada 4 anos. Os cálculos são simples para se fazer, já que ao ter o ano inicial, basta calcular de 4 em 4 anos para descobrir quais anos possuem um dia a mais.

No século XVI, o último ano bissexto foi em 1596, dando início ao novo século XVII em 1600 e assim, a cada quatro anos mais um ano com um dia a mais no calendário. É como seguir a tabuada do 4, podendo começar desde o ano 1000.

Para os anos seguintes, os cálculos são os mesmos e devem recomeçar a ser contados em 2024 já que 2020 foi o último. A cada século, existem 25 anos que são bissextos, que começam sempre em 2104, ou 2204 e vão até 2196 ou 2296, e assim sucessivamente.

Porém, existe uma regrinha que precisa ser levada em consideração na hora de calcular os anos bissextos. Quando o ano é divisível por 4 e 400 é bissexto, mas quando for divisível por 100 não é.

Esse cálculo não é exato, mas a cada 8 mil anos, haverá sempre um dia sobrando se for olhar pelo calendário gregoriano que é o usado atualmente. Ainda existe a intenção de que os cientistas calculem ou desenvolvam uma nova regra sobre essa falha nos cálculos e com isso, a tabela do calendário poderia ser regularizada para que não tenha mais falhas nos anos futuros.

Parece confuso de entender, mas esses cálculos foram feitos há muitos séculos e ainda não há uma solução completamente eficiente para montar uma tabela exata com cálculos totalmente automáticos e corretos.

Ainda existem muitos estudos a ser feitos e a tecnologia avança cada vez mais para tornar esses dados mais precisos. Os responsáveis por calcular e modificar essas tabelas, são cientistas, astrônomos e pesquisadores que estudam o universos, seus movimentos e também, as mudanças que acontecem na Terra.

ano bissexto

Qual foi o último ano que teve 366 dias?

- Continua Depois da Publicidade -

O último ano bissexto que aconteceu foi em 2020 e sempre que houver dúvida para saber se o ano ter um dia a mais ou não, basta calcular se o ano é divisível por 4. No ano de 2016 por exemplo, o número é divisível por 4 e isso faz dele um ano bissexto. Já anos centenários que terminam em 00, precisam ser divisíveis por 400 para serem bissextos, caso contrário, não é.

O dia 29 de fevereiro acaba sendo algo divertido e algumas coisas importantes aconteceram nessa data. Uma delas é o Dia Mundial da Doença Rara, que é comemorado nesse dia, como uma forma de mostrar também, como esse dia é raro no calendário, por acontecer apenas a cada 4 anos. Quando não é ano bissexto a data é comemorada um dia antes, no dia 28 de fevereiro.

Alguns fatos históricos também aconteceram no ano bissexto e ficaram conhecidos por isso, como por exemplo o nascimento do Papa Paulo III, que nasceu em um ano de 366 dias, que era 1468.

Além disso, em 1939, o Prêmio Nobel de Física foi dado a Ernest Lawrence pelo desenvolvimento do acelerador de partículas de cíclotron. Enquanto que o dia 29 de fevereiro também foi marcado pela renúncia do presidente do Haiti, Jean-Bertrand Aristide, no ano de 2004 quando foi exilado para a República Centro-Africana.

Além desses, existem diversos fatos históricos curiosos que aconteceram durante um ano bissexto, ou até mesmo no dia extra do ano. O dia de 366 que acontece todo dia 29 de fevereiro é considerado um dia raro, por acontecer pouco e por isso, a ironia de acontecimentos importantes acontecerem a passarem a ser comemorados em outra dia.

29 de fevereiro

Ano que fevereiro tem 29 dias

O dia 29 de fevereiro acontece a cada 4 anos, e leva o nome de ano bissexto, o que faz também com que o ano tenha 366 dias. O último ano em que isso aconteceu foi em 2020 e o próximo será em 2024.

Existe uma lei criada para quem nasce nessa data. Desde 2012, a Lei de nº 12.662 indica que todos os seres nascidos precisam ter em registro um dia, um mês e um ano de nascimento que contenham suas informações exatas.

Por esse motivo, quem nasce no dia 29 de fevereiro, durante um ano bissexto, pode registrar essa data, mas fica a seu critério quando comemorar o seu aniversário, se no dia 28 ou no dia 1, já que anos bissextos só acontecem a cada 4 anos.

Algumas pessoas até brincam com a situação, como se fizessem aniversário apenas a cada 4 anos, e assim, envelheceriam mais devagar. Por exemplo, uma pessoa que nasceu em 1988, que é um ano bissexto, teria hoje 8 anos apenas, se a comemoração valesse apenas nesses anos. Sendo que a idade correta seria de 33 anos.

ano bissexto

Quantos dias tem um ano bissexto?

Antigamente a contagem dos dias durante um ano eram feitas de forma regressiva. E como o dia a mais em anos bissextos foi adicionado em fevereiro, uma expressão em latin criada por Júlio Cesar “ante diem bus sextum calendas Martias”, que significa que a o sexto dia antes do primeiro dia de março é repetido.

É válido ressaltar que naquela época, os meses eram divididos em três partes, sendo os primeiros dias do mês chamado de Calendas, os dias do meio de Nonas e os últimos dias de Idos. Como o dia 24 de fevereiro é o sexto dia antes do primeiro dia do mês seguinte, o termo bissexto passou a ser pensado por esse motivo. Já que pode tanto significar duas vezes seis, como dito anteriormente ou o sexto dia antes de dar início ao próximo mês.

Um ano bissexto possui 366 dias devido ao dia a mais que é calculado com o acúmulo das horas que são somados ao longo de 4 anos. Durante a volta no Sol, a Terra leva 365 dias e mais algumas horas, que somam quase 6 horas. Essas 6 horas quando somadas por 4 anos somam 24 horas, resultando em um dia a mais.

Esse dia a mais é o dia que é acrescentado em fevereiro durante os anos bissextos e assim, o ano passa a ter 366 dias, ao invés de 365 como de costume.

366 dias

Ano bissexto ocorre de quanto em quanto tempo?

No século XIII, o Papa Gregório teve a ideia de aperfeiçoar o calendário fazendo algumas mudanças, como foi o caso de mudar o nome também, de calendário juliano para gregoriano. Nessa época as principais coisas que mudaram foi o dia adicional do ano bissexto passar a ser o dia 29 de fevereiro e não mais o 24, como era no calendário juliano.

Muitas pessoas tem essa dúvida do porquê o mês de fevereiro possui menos dias dentre todos os outros meses. Tendo apenas 28 dias em contrapartida dos demais que possuem entre 30 e 31 dias de duração, fevereiro passou a ter menos dias, devido a uma homenagem feita a Júlio César, depois de morto.

Depois da morte de Júlio César, o governo romano quis homenagear o imperador, alterando o mês de julho, que até então se chamava “quintilis” e tinha 31 dias. A ideia dessa homenagem depois foi copiada com a morte do imperador César August, que alterou o nome do mês “sextilis” para Augustos ou agosto como é conhecido hoje.

Com isso, o mês de agosto tinha apenas 30 dias, e como a homenagem dos imperadores precisava ter dias a mais, o mês passou a ter um dia a mais, que foi trazido lá de fevereiro. Essa solução aconteceu já que o mês tinha um dia a menos devido a repetição dos anos bissextos. Por esse motivo fevereiro passou a ter 28 dias, e em anos bissextos 29 dias.

Para entender como os cálculos do ano bissexto é feito e porque ele acontece a cada quatro anos, basta somar as 6 horas a mais que a Terra leva todos os anos para dar a volta ao Sol. Quando isso vai se acumulando durante 4 anos, se torna 24 horas, portanto, 1 dia a mais que pode ser acrescentado ao calendário como 29 de fevereiro.

VEJA TAMBÉM: Dia de sorte: números e dezenas que mais saem 

 

Deixe seu Comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Talvez Você se Interesse

- Publicidade -