HomeCriptomoedasBitcoin: como entrar no mercado? É seguro investir?

Bitcoin: como entrar no mercado? É seguro investir?

-

O Bitcoin é a principal criptomoeda do mercado, que vem chamando cada vez mais a atenção dos investidores.

Quem procura uma boa alternativa para realizar bons investimentos, encontra no Bitcoin uma boa possibilidade de lucrar.

Bem, não é tão difícil entender sobre isso, basta apenas compreender os conceitos básicos do sistema.

O bitcoin, por ser uma moeda que ficará escassa com o passar dos anos, será extremamente estável a longo prazo.

Então, ela não irá perder valor, depois de firmada no mercado, à medida que o tempo passa.

- Continua Depois da Publicidade -

Contudo, devido ainda está se estabelecendo na sociedade, seu valor real ainda não definiu-se muito bem.

Exatamente por isso, ele ainda alterna bastante, com seu valor se alterando sempre.

Mas, essas alternâncias abrem margem para um mercado de investimentos bem amplo.

Então, se você quer entender como entrar no mercado, e se é seguro investir em Bitcoin, basta continuar com a leitura.

Bitcoin o que é?

O bitcoin é um revolucionário sistema de criptomoedas de ponto a ponto, que surgiu para revolucionar o mercado financeiro.

É a mais famosa moeda digital, que traz conceitos tão revolucionários, que muitas vezes não são bem interpretados pelas pessoas.

De um modo geral, a maior revolução do Bitcoin é o abandono da dependência de instituições financeiras, que prestam um serviço terceirizado.

O Bitcoin é como um sistema de segurança máxima, que permite que uma pessoa envie dinheiro diretamente para outra, sem intermediações.

- Continua Depois da Publicidade -

E essa transação é irreversível, criptografada, sem chances de manipulação ou fraude.

Isso porque cada movimentação dessas efetiva-se apenas após a comprovação, com complexos cálculos matemáticos, realizado por diversos dispositivos.

É nesse ponto onde entram os chamados “mineradores”, que servem justamente para confirmar essas transações.

O surgimento de um novo sistema

O grande problema das instituições financeiras, segundo o criador do Bitcoin, Satoshi Nakamoto, que é um pseudônimo, é a chamada rede de confiança.

Os usuários devem confiar nos bancos, mas sem uma prova realmente comprovada de suas ações.

E isso envolve não apenas transações em si, mas também o próprio “armazenamento” do dinheiro em contas.

Todos esses pontos são revolucionários pelo Bitcoin, que altera completamente essa concepção de apenas confiar.

Nesse caso, as movimentações passam a ser feitas de forma direta, uma transferência direta, de ponto a ponto, sem intermediação.

- Continua Depois da Publicidade -

Mas, o que era antes submetido à confiança dos bancos, não se obriga a confiança entre as pessoas. Muito pelo contrário.

É preciso uma comprovação matemática daquela ação, pois tudo o que pratica-se dentro da rede fica registrado.

Dessa forma, é possível confirmar de forma totalmente segura, que aquela movimentação realmente é verdadeira. Apenas após isso é que confirma-se a ação.

E mesmo essa confirmação em si, não dar-se pelo sistema, mas sim por diversas outras pessoas, que realizam a mineração dessas informações.

Torna-se então uma confirmação múltipla, sem chances para o azar ou erro, tornando o modelo seguro, por realmente ser seguro.

Para que serve?

O Bitcoin elimina de uma vez por todas a necessidade de instituições financeiras para intermediar transações.

Na verdade, o sistema invalida até mesmo a atuação ou intervenção dos governos em si.

Isso porque é totalmente desvinculado, não tendo nenhuma relação com esses sistemas.

E esse é outro grande ponto positivo do Bitcoin: a impossibilidade de perda de valor com o tempo, pois a produção é em uma quantidade limitada, e estabilidade em crises.

Para quem não entende muito bem esse sistema, o dinheiro em si, como o real, perde valor com o tempo.

Outro ponto, sendo o principal, é que o valor do dinheiro representa os bens do país em si.

Dessa forma, o real, que atualmente tem um certo valor, de acordo com a situação do Brasil, pode perder muito do seu real poder de compra, em casos de crises.

Isso ocorreu, por exemplo, com a Venezuela, que vem passando por uma grave crise política e econômica.

E, nesses tempos de crise, como o próprio país perdeu muito seus recursos, seu dinheiro também perdeu valor.

Então, mesmo que seja um número em si muito grande, fora do país, principalmente, esses números são bem pequenos.

E isso não ocorre de forma alguma com o Bitcoin, que é totalmente desvinculado de governos, sendo inabalável com crises.

Dessa forma, o Bitcoin serve, não apenas para tornar as movimentações mais seguras, mas para tornar os patrimônios mais estáveis.

O próprio usuário é o responsável por armazenar seu dinheiro virtual, inclusive em um pendrive, por exemplo.

Outro ponto interessante é a impossibilidade de gasto duplo, isto é, de gastar o dinheiro duas vezes.

Isso porque, tudo conta com assinaturas, que identifica-se facilmente pelo sistema, validando apenas a mais antiga.

Apenas a primeira movimentação é confirmada, as posteriores não passam de forma alguma pelos mineradores. 

Situação do Bitcoin

Quando se fala em Bitcoin, há um ponto bem interessante que deve-se levar em consideração, que é a sua quantidade limitada.

Desde sua criação, seu fundador estipulou um limite de apenas 21 milhões de Bitcoins, não havendo possibilidade de produzir mais.

E esse limite está perto, afinal já foram produzidos mais de 19 milhões de Bitcoins.

E essa é justamente a grande arma da moeda, já que esse limite o torna também raro, deixando seu valor sempre em crescente.

Quanto mais se chega perto desse limite, mais valor ele terá. Por isso, a situação do Bitcoin é bastante favorável para os próximos anos.

Uma comparação bastante feita é em relação ao próprio ouro, que é um mineral também limitado.

Essa limitação o torna raro e valioso, sendo um ponto bastante positivo. Afinal, se existisse ouro infinito, seu valor seria bem diferente.

O dinheiro controlado pelos governos, por outro lado, são facilmente produzidos, sempre que surgir alguma demanda.

Claro, que há todo um processo padronizado e regras que são seguidas, mas isso, sem dúvidas causa inflação e perda de valor da moeda.

Isso não irá acontecer de forma alguma com o Bitcoin, que conta com uma margem de crescimento bastante longa para os próximos anos.

Prova disso já é o próprio valor atual da moeda, que custa bem caro no mercado, chegando, por exemplo, a R$ 250.000.

E como dito, a tendência é apenas aumentar com o passar dos anos.

Na verdade, o Bitcoin, assim como outras moedas, possui um valor tão alto, que é comercializado em frações.

Nesse caso, existem os chamados satoshis, que são as partes menores do Bitcoin, sendo realmente as partes que são mais comercializadas.

O Bitcoin pode dividir-se em até 100 milhões de vezes, sendo possível comprar uma parte bem pequena da moeda.

Como entrar no mercado de Bitcoin?

Como já foi possível entender, o Bitcoin consegue abrir muitas portas para os usuários.

Principalmente quando se fala capacidade de armazenar em segurança, sem possibilidade de redução de riquezas, etc.

Outro ponto importante também é em relação a volatilidade da moeda.

Isso porque, apesar de ela estar em uma crescente, quando se analisa dados desde sua criação, no decorrer desse período, ela oscila bastante.

Nesse quesito, funciona similarmente a outras moedas do mercado, reagindo a certas questões do mercado.

Claro que isso não interfere, como já foi dito, em fatores maiores, relacionados a crises de governo, por exemplo.

Mas, questões pontuais, interferem sim nesse valor momentâneo, o que é o cenário ideal para os investidores.

É possível realizar investimentos tanto de longo período, quanto em um curto espaço de tempo.

Dessa forma, apenas comprando Bitcoins e esperando o aumento do valor em um determinado período, já é uma boa alternativa.

Mas, para quem quer uma opção mais rápida, também é possível realizar diversos negócios de forma ágil, comprando e vendendo Bitcoin.

Contudo, independentemente de qual seja o motivo que tenha chamado a atenção, é possível entrar no mercado Bitcoin de forma bem prática.

A melhor forma de fazer isso é realmente através de alguma corretora, que preste esses serviços, ou diretamente de outra pessoa.

E existem muitas nesse campo de atuação, que realizam a compra do ativo e vendem para os seus usuários.

Essas corretoras são chamadas de plataforma exchange, realizando uma intermediação entre o comprador e o ativo em si.

É necessário apenas realizar o cadastro em uma dessas plataformas e depois comprar rapidamente por meio dela.

Quanto aos valores dos produtos em si, cada corretora estipula seus limites mínimos de compra, mas não costumam ser tão altos. Exemplos:

  • Foxbit;
  • Binance;
  • Mercado Bitcoin;
  • Bitcoin Trade;
  • NovaDAX;
  • IQ Option.

Leia mais: Mercado Bitcoin: saiba tudo sobre como investir

Valor mínimo para investir em bitcoin

Investir no mercado Bitcoin não é algo tão difícil, como já foi possível observar.

Tudo o que é preciso é comprar diretamente de uma pessoa, ou então utilizar uma plataforma (corretora), que preste esses serviços de intermediação.

E cada corretora atua de forma diferenciada, buscando oferecer o melhor para seus clientes.

Essa concorrência é bastante benéfica para os usuários, que conseguem ter melhores opções de compra.

Mas, afinal, qual é o valor mínimo para investir em Bitcoin?

Bem, a resposta para essa pergunta pode surpreender a muitas pessoas, isso porque não há um valor mínimo para investir em Bitcoin.

Isso se deve ao fato justamente da moeda ser tão cara que deve ser dividida em 100 milhões de partes melhores, que são os satoshis.

Dessa forma, esses valores se tornam bem mais baixos, possibilitando qualquer pessoa a entrar nesse mercado.

Mas claro, essa não existência de um valor mínimo se refere às transações realizadas entre pessoas.

Em outras palavras, para comprar diretamente de alguém, não há um limite mínimo obrigatório. Tudo vai depender do acordo entre as duas pessoas.

Mas, quando se fala em corretoras, as coisas mudam um pouco de rumo.

Isso porque cada uma delas pode exigir um limite mínimo para realizar o investimento.

De uma forma geral, um valor bem comum que cobra-se é de algo em torno de R$ 50.

Então, mesmo nas corretoras não há a necessidade de um grande investimento.

Não são necessários nem mesmo 3 dígitos para entrar no mercado, o que é realmente algo bem interessante.

Por isso, quem tem interesse em iniciar nessa área, não encontra grandes dificuldades, devido a disponibilidade de plataformas, e do baixo custo inicial.

E, para esses primeiros passos, as corretoras são realmente a melhor opção, dando o suporte necessário.

Quanto rende 1.000 reais em bitcoin?

Quando se fala em Bitcoin, uma coisa é preciso levar em consideração: a quantidade de dinheiro não aumenta com o tempo.

Dessa forma, quando se realiza a compra de 1 Bitcoin ou de sua fração, o Satoshi, não importa quantos anos se passem, ele será a mesma quantidade.

O que vai diferenciar é valor dessa criptomoeda, que será bem mais elevado.

Um exemplo claro pode ser em relação ao próprio real, e com o salário mínimo.

Considerando que um cidadão tivesse guardado 1000 reais em uma conta, sem correr juros, há 10 anos atrás.

Atualmente ele ainda teria os mesmos 1000 reais, assim como ocorre no Bitcoin. Certo?

Mas, bem, há 10 anos atrás, o salário mínimo, por exemplo, era de R$ 600, atualmente, já são mais de R$ 1000.

Contudo, esse poder de compra de 1000 reais é totalmente diferente, devido a desvalorização da moeda.

Então, ter 1000 reais hoje é totalmente diferente do que ter os mesmos 1000 reais daqui a 10 anos, eles não valem mais a mesma coisa, em relação ao poder de compra.

O Bitcoin, por outro lado, é totalmente diferente. Investir 1000 reais em Bitcoin hoje, seguindo o fluxo do mercado, é que eles irão valer muito mais.

Esse é o grande trunfo dessa criptomoeda, sua valorização, ou ao menos estabilidade ao longo do tempo, ao contrário das moedas convencionais.

No entanto, essa estabilidade ainda não é encontrada nos dias atuais, pois ainda é momento de conhecer o Bitcoin, e firmar um preço estável.

Até lá, ela continuará respondendo a diversos fatores internos do mercado, deixando-a bastante volátil.

Por isso, investir 1000 reais em Bitcoin hoje, pode gerar lucros ou prejuízos amanhã, depois, etc.

Tudo vai depender de como ele vai responder aos estímulos do mercado, sendo uma boa fonte de rendimento.

Como se usa o Bitcoin?

Desde o surgimento das criptomoedas, como o Bitcoin, em 2008, essa evolução nunca foi recebida com tanto prestígio pela sociedade em geral.

Isso porque, abrir mão de bancos e do próprio governo, por meio do Banco Central, mediando essas finanças, é realmente algo muito fora do padrão.

Contudo, cada vez mais essas moedas digitais vem ganhando espaço no mercado, e a confiança dos usuários.

Prova disso, por exemplo, é uma das notícias mais bombásticas de 2021, onde o Bitcoin tornou- se a moeda oficial de El Salvador.

Por lá, o dólar já era moeda oficial, dividindo agora o espaço com a criptomoeda

Isso mostra o quantos passos já foram dados até um entendimento mais geral, por parte da população.

A grande verdade é que o dinheiro como é conhecido nos dias atuais, em forma de papal moeda, talvez não dure muito tempo.

Não que as criptomoedas irão tomar seu lugar, mas sim as próprias transações totalmente digitais.

Então, o real continuará existindo, muito provavelmente, mas quase exclusivamente por meio de sua versão virtual.

O Pix, por exemplo, uma das maiores invenções dos últimos tempos, nessa área financeira, é uma prova disso.

Realizar transferências, pagar, receber, tudo de forma rápida e prática, sem sair de casa. Esse é o futuro do dinheiro nos próximos anos.

E as criptomoedas também estão crescendo, a passos largos, rumo a essa evolução financeira.

Quanto ao Bitcoin, seu uso atual pode ser bastante variado, servindo tanto para realizar investimentos, quanto para o uso cotidiano.

Isso vai depender, é claro, da aceitabilidade da moeda, que já acontece em alguns pontos, de diversas cidades, como São Paulo -SP.

O que está acontecendo em El Salvador, apesar de ser o primeiro país a fazer isso, pode abrir margens para muitas evoluções.

Investir em bitcoin no Brasil

Quem acompanha o mercado financeiro, está por dentro da forte desvalorização que o Real brasileiro está tendo frente ao dólar.

Apesar das constantes subidas e descidas, uma boa média é o valor de R$ 5,00, sendo o preço constante de 1 dólar.

A não muitos anos atrás essa equivalência era de apenas R$ 3,00, chegando em alguns momento a duplicar esse valor.

Por isso, tendo em vista a forte desvalorização do real, o Bitcoin se mostra uma opção ainda mais chamativa de investimento.

O ano de 2020, por exemplo, foi um ano de ouro para o Bitcoin, que conseguiu se firmar de vez no mercado.

O mesmo ocorreu no ano de 2021, onde a moeda se valorizou absurdamente, chegando a valores gigantescos.

Então, investir em Bitcoin no Brasil é uma alternativa bem interessante, seja para ganhar dinheiro ou proteger o patrimônio.

E o modo de investimento é bastante simples, ocorrendo da mesma forma como já explicado em outros blocos.

Tudo o que é preciso é comprar a criptomoeda, e esperar o momento oportuno para comercializar.

Ou apenas deixar que ela se valorize, mantendo ou aumentando consideravelmente o patrimônio investido.

A forma mais prática de fazer isso é através de uma plataforma exchange. E no país, duas que possuem bastante destaque são a IQ Option e o Mercado Bitcoin.

Leia também: Banco Central do Brasil: Descubra dívidas, conversão e registrado

IQ Option

A IQ Option se destaca no mercado nacional principalmente por não ter nenhuma taxa de retirada da criptomoeda.

Essa taxa é bastante comum em outras plataformas, e pelo fato de não ser cobrada pela IQ Option, já dá bastante destaque.

Para iniciar os investimentos em Bitcoin nessa corretora, o único ponto que é cobrado é o valor de aproximadamente R$ 50, que é o valor mínimo de depósito.

Então, esse é o valor mínimo que se pode começar a investir, que também é algo comum nas plataformas.

Quem está iniciando nesse mercado, encontra na IQ Option uma opção interessante para investir.

Isso porque, além de não cobrar a taxa de retirada, também não possui um valor mínimo que pode ser retirado.

É dado então muito mais opções para o cliente, que consegue utilizar seus recursos ao seu modo.

Mercado Bitcoin

O Mercado Bitcoin também se mostra como outra boa opção para quem quer investir nessa criptomoeda.

Nesse início, também estipula-se um valor mínimo de investimento, sendo de R$ 50, que está dentro do natural.

A única desvantagem, por assim dizer, é em relação à taxa de retirada da plataforma, que é de R$ 2,90 + 1,99%.

O saque também tem um valor mínimo, que é de R$ 50.

Mas, apesar disso, ela oferece muito mais possibilidades de uso a seus usuários.

Isso pode ser verificado na possibilidade da realização de transferências de uma carteira digital para outra.

Qual o lucro do Bitcoin?

Quem procura uma boa alternativa para realizar bons investimentos, encontra no Bitcoin uma boa possibilidade de lucrar.

Quando falamos sobre o rendimento de 1000 reais em Bitcoin, já foi possível entender um pouco sobre esse assunto.

Bem, não é tão difícil entender sobre isso, basta apenas compreender os conceitos básicos do sistema.

O bitcoin, por ser uma moeda que ficará escassa com o passar dos anos, é extremamente estável a longo prazo.

Então, ela não irá perder valor, depois de firmada no mercado, à medida que o tempo passa.

Contudo, devido ainda está se estabelecendo na sociedade, seu valor real ainda não definiu-se muito bem.

Exatamente por isso, ele é bastante volátil, se alterando sempre. Essas alternâncias abrem margem para um mercado de investimentos bem amplo.

Através das corretoras, ou de pessoas normais, é possível comprar essa moeda pelo valor que ela estiver sendo comercializada na época.

E, devido a sua instabilidade, rapidamente esse valor começa a oscilar, variando para maior ou para menor.

Nos casos de investidores que trabalham dentro de um curto espaço de tempo, basta esperar por uma dessas altas.

Sendo assim, o lucro será essa diferença entre o valor de compra e de venda.

Obviamente que é preciso pensar ainda em pontos como as próprias plataformas, que não são gratuitas, e tudo mais.

Mas, de uma forma geral, esse é o lucro do Bitcoin, tendo a probabilidade de ser bem maior com uma maior quantidade de tempo de investimento.

Vale a pena, então, investir em uma carteira digital segura, que ofereça boas taxas de operação.

Sendo assim, é possível lucrar com o Bitcoin, seja em curto ou longo prazo, basta apenas avaliar bem o mercado.

É seguro investir na moeda Bitcoin?

Diante de tudo o que foi apresentado sobre o Bitcoin, e sobre todas as suas possibilidades, a única dúvida que ainda pode surgir é se ele é seguro.

Quanto às outras informações, é possível perceber que ele se mostra sim uma opção chamativa de investimento.

Quanto à segurança, realmente não há muito o que se preocupar, pois a criptografia do blockchain, são praticamente impossíveis de invadir.

Prova disso é o fato do Bitcoin nunca ter sido roubado, na verdade nunca se passou nem perto disso.

E já são mais de uma década de existência, sempre se mostrando firme e seguro.

O que torna essa missão impossível é o fato de todas as transações realizadas estarem divididas em blocos diferentes.

A cada 10 minutos um novo bloco se abre, e os moradores atuam na validação das transações realizadas naquele momento.

Depois de fechado, o código é totalmente criptografado, sendo que a única chance que poderia existir é de conseguir, dentro de um tempo recorde, invadir todos esses blocos.

E acredite, muito provavelmente isso nunca irá acontecer, devido a complexidade da ação.

Além do mais, não é apenas uma pessoa que zela por essa segurança, afinal todos podem contribuir pelo correto uso do sistema, como ocorre na validação dos blocos, que é feito por diversos mineradores.

O que pode ocorrer, porém, são ataques às corretoras, chamadas de plataforma exchange.

As carteiras digitais dessas empresas sim podem sofrer ataques hackers. Por isso, é preciso pesquisar bem antes de escolher em qual delas se cadastrar.

E essa possibilidade pode ser extinta quando armazena-se os Bitcoins separadamente, como em QR Code.

Dessa forma, é possível afirmar que o Bitcoin é seguro, como afirma o próprio Jornal o Globo.

Onde comprar bitcoin?

Como visto, investir em Bitcoin é sim uma forma segura de conseguir uma boa margem de lucro.

Principalmente quando se fala em um investimento de longo prazo, a moeda se mostra bem promissora.

Bem, mas para quem quer realizar seu primeiro investimento, ou investir mais pesado, é preciso saber onde comprar Bitcoin.

Afinal, essa é a moeda mais importante do mercado, que consegue oferecer as melhores condições para os investidores.

Então, há basicamente duas formas de comprar o Bitcoin: 

  • A primeira é através de uma pessoa comum;
  • Já a segunda é por meio de uma plataforma exchange.

Comprando a criptomoeda de uma pessoa comum

As pessoas comuns conseguem armazenar o Bitcoin por meio de diversos modos, como na carteira digital, hardware, ou até mesmo em papal, através do QR Code.

Bem, nesse caso, sendo o proprietário dessa moeda, ele pode realizar o que quiser com ela, seja dar, vender, etc.

Essa é uma forma bem mais prática de comprar Bitcoin, já que não envolve a intermediação de nenhuma outra parte.

Claro, assim como qualquer transação, também é preciso valida-la dentro do blockchain, dando segurança a ação.

Quanto a isso, realmente não há problemas, mas é sempre bom ficar de olho e com a própria segurança.

É preciso então, quando feito entre duas pessoas, iniciar tudo com cautela, comprando de poucas unidades, para não haver problemas.

Afinal, não deve-se confiar de primeira assim em todo mundo, não é mesmo? Além do mais, os primeiros investimentos devem ser menores.

Isso é necessário porque ainda não se conhece muito bem o mercado, como é o seu real funcionamento. Após isso, os investimentos já podem ser maiores.

Em resumo, basta procurar alguém que esteja disposto a vender os Bitcoins, e realizar a transferência de ponto a ponto.

Isso pode ser feito facilmente através da carteira digital, que é um dos melhores meios de armazenar a moeda.

Comprando a criptomoeda de uma plataforma exchange

Assim como existem corretoras atuando no mercado de ações, sendo as responsáveis por intermediar a compra e venda de uma ação, há no mercado de criptomoedas.

O funcionamento é bem similar, onde a plataforma exchange realiza a compra para o usuário.

Obviamente que um dos objetivos principais do surgimento das criptomoedas é justamente a falta de intermediadores.

Mas, esse é outro sistema. As corretoras não são como bancos, que ficam de posse do dinheiro em si.

Elas são apenas facilitadoras da compra. Mas diversas ações são facilmente realizadas sem intermédio de ninguém, como as transferências.

Afinal, pode não ser tão simples assim encontrar alguém a vender seus Bitcoins pela rua.

Além do mais, a plataforma exchange consegue cuidar de toda a parte burocrática, não sendo necessário o usuário realizar nenhuma ação complexa.

Por isso, mesmo com as taxas que cobra-se em algumas ações, elas são a melhor opção para quem está iniciando no mercado.

Na verdade, até mesmo quem já possui experiência, contar com uma plataforma exchange, faz toda a diferença.

Como dito, tudo ainda é muito recente, e apesar de já terem caminhado uma jornada bem longa, ainda há muito o que evoluir.

Leia também: Cotação do Dólar: Como funciona e qual a sua influência nas nossas vidas

Conclusão

Depois de acompanhar todo o artigo, percebe-se a importância que o Bitcoin vem adquirindo no mercado.

Quem está buscando uma boa opção de investimento, encontra nessa criptomoeda uma alternativa bem satisfatória.

E não importa se é um investimento de curto, médio ou longo prazo. Sempre é possível ter bons resultados com o Bitcoin.

Apesar disso, uma das melhores alternativas realmente é em relação à proteção do patrimônio em si.

Mesmo que a moeda não se valorizasse tanto, apenas pelo fato de não perder valor, já é algo extremamente chamativo.

O “ouro digital”, como é chamado por alguns, realmente mostra-se como uma alternativa e tanto de investimento e proteção de valor.

Por isso, vale a pena se manter sempre antenado, pesquisar bem sobre as corretoras, e escolher a melhor opção para começar.

O Flame Content sempre publica artigos sobre o Bitcoin, então se quiser se manter atualizado, basta acompanhar a gente.

Leia também: Euro: confira o valor de compra da moeda para hoje

 

Deixe seu Comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Talvez Você se Interesse

- Publicidade -