HomeEmpresas & NegóciosBanco Central do Brasil: Descubra dívidas, conversão e registrado

Banco Central do Brasil: Descubra dívidas, conversão e registrado

-

O banco central do Brasil é uma autarquia do governo federal, embora não possua vínculo com nenhum ministério. Sendo fundado no dia 31 de dezembro de 1964 através da Lei nº 4.595 e tendo iniciado as suas atividades oficialmente em 1965, ou seja, quatro meses após a homologação da Lei que o regulamenta.

O Banco Central do Brasil funciona como os outros bancos centrais ao redor do mundo, sendo uma das principais autoridades monetárias nacionais, com o Conselho Monetário Nacional (CMN) sendo o principal deles. 

Além do mais, o Banco Central do Brasil ou apenas BC, possui esta competência advinda de 3 diferentes instituições: Superintendência da Moeda e do Crédito (SUMOC), também do Banco do Brasil e por fim do Tesouro Nacional. Mas apesar de sua importância, será que você conhece o BC e sabe como ele funciona? Portanto, vamos ver um pouco sobre o Banco Central do Brasil.

Banco Central do Brasil: autarquia criada em 64

O BC passou por um longo processo de maturação antes de definitivamente ter a sua criação efetivada. Ainda durante o século XIX, era visto que o Brasil precisava de uma instituição bancária superior, que tivesse poderes para fazer a emissão de papel-moeda de forma única e exclusiva, exercendo também o papel de banqueiro do Estado.

O Banco do Brasil era o responsável em desempenhar tais funções bancárias para o governo federal, mediante o gerenciamento das operações de comércio estabelecidas com o exterior, recebimento dos depósitos (sejam eles compulsórios ou voluntários) de outros bancos comerciais, além da execução de operações relacionadas ao câmbio em representação de órgãos públicos e também do Tesouro Nacional.

- Continua Depois da Publicidade -

A Sumoc e também o Banco de Crédito Agrícola (Comercial e Industrial) eram os responsáveis por estabelecer as normas para reger o funcionamento do Banco do Brasil, quando o mesmo ocupava a posição antes da criação do BC, enquanto que a emissão do papel-moeda era responsabilidade do Tesouro Nacional.

Deste modo, em dezembro de 1964 o Banco Central do Brasil foi criado para exercer esses papéis, uma autarquia federal que seria integrante do nosso SFN (Sistema Financeiro Nacional). Após a criação do BC ele tomou um posto de protagonismo no ramo bancário e passou a receber a denominação de “Banco dos Bancos”.  

O Banco Central do Brasil foi responsável pelo processo de reordenamento financeiro governamental, que buscava regulamentar todos os movimentos das finanças federais, ou seja, a autoridade monetária passou aos poucos toda para o BC. Com exceção da dívida pública federal, que ainda era responsabilidade do Tesouro Nacional.

Papel do Banco Central na economia em desenvolvimento de um país

O banco central é a instituição de ponta que facilita o funcionamento dos bancos comerciais e regula as decisões monetárias da economia. O banco central controla a oferta de moeda e as taxas de juros usando as políticas monetárias. O banco central é o banco dos bancos comerciais.

É o credor de última instância. Para um país em desenvolvimento, o banco central é um órgão significativo que acelera o crescimento da economia. Aqui estão algumas funções importantes desempenhadas pelo banco central em um país em desenvolvimento:

  • Controle de dinheiro: qualquer mudança na oferta de dinheiro afeta o nível de preços da economia. Se a oferta monetária aumentar, haverá um aumento no nível de preços e vice-versa. Consequentemente, o banco central tem um papel importante na manutenção do equilíbrio entre a demanda e a oferta de moeda. O banco central controla diretamente a oferta de moeda e pode influenciar a demanda por moeda para vários fins, usando a política monetária apropriada.
  • Taxa de juros: as taxas de juros são um importante determinante da demanda de investimento na economia. O banco central, ao regular a oferta de moeda, pode alterar as taxas de juros e, assim, estimular o investimento. Por exemplo, se o banco central deseja aumentar a demanda de investimento, ele aumentará a oferta de moeda. Um aumento na oferta de moeda reduzirá a taxa de juros e os empréstimos serão mais baratos. As pessoas vão pedir emprestado e investir esses fundos. Portanto, o investimento na economia foi aumentado.
  • Balança de pagamentos: O banco central controla as reservas cambiais e ajuda a resolver o problema da balança de pagamentos enfrentado pelo governo. Quando as importações excedem as exportações, ou seja, as despesas excedem a receita, o banco central usa suas reservas em moeda estrangeira para pagar o saldo. O banco central também mantém a estabilidade da moeda doméstica. Ele evita flutuações na moeda por um processo de compra e venda de reservas estrangeiras.
  • Crescimento econômico: o banco central facilita o funcionamento dos bancos comerciais e incentiva o surgimento de novos bancos. Ajuda no desenvolvimento rural ao estender as agências dos bancos comerciais às áreas rurais. Auxilia na constituição de diversas instituições financeiras que auxiliam no crescimento do país.

Ao desempenhar todas as funções acima indicadas, o banco central visa o desenvolvimento econômico do país. Em situações de dificuldades econômicas, é o banco central que tenta estabilizar a economia. O Banco Central é a instituição ápice do crescimento econômico do país.

Como consultar meu CPF no Banco Central?

Algumas pessoas podem querer consultar o seu CPF junto ao Banco Central do Brasil, mas não sabem como realizar esse procedimento. Porém, é muito simples e vamos mostrar para você.

Primeiramente, é preciso acessar o site oficial do Banco Central do Brasil e ir até a opção de “Registrado”. Após acessar, é preciso fazer o login através dos seus dados de login, podendo ser uma conta própria na plataforma do BC ou então uma conta do governo federal. Caso não tenha nenhuma das duas, basta realizar o seu cadastro e depois voltar ao site e então fazer a consulta do seu CPF no Banco Central do Brasil.

- Continua Depois da Publicidade -

Dentro do Registrado, é possível encontrar diversas informações sobre você. Dentre as várias opções pela qual deseje realizar uma consulta, temos:

  1. Chaves Pix: Todas as suas chaves que estão cadastradas em diferentes bancos nacionais;
  2. Empréstimos e Financiamentos: Informações sobre algumas dessas linhas de crédito que estejam em seu nome.
  3. Financeiras: Lista dos bancos e financeiras em que uma pessoa possua conta ou alguma outra forma de relacionamento, um exemplo são investimentos.
  4. Certidão: Caso não tenha conta ativa em nenhum banco nacional, pode emitir a Certidão de Inexistência de Contas em Bancos, disponível no site do BC.
  5. Operações: Dados detalhados sobre suas operações de câmbio e transferências internacionais;

Lembre-se, os relatórios são sigilosos e devem ser consultados exclusivamente pelo titular do CPF ou alguém autorizado.

Não sabe se você tem dívida no BCB?

Muitas pessoas possuem dúvidas sobre as duas dívidas e se elas ainda existem, expiraram e o valor possível. Para acessar e verificar se existe alguma possível pendência com o Banco Central do Brasil, é possível realizar isso de maneira inteiramente online, através do Cadin (Cadastro Informativo) dentro site oficial do Banco Central.

Esse banco de dados possui os nomes das pessoas (físicas ou jurídicas) que tenham obrigações pecuniárias vencidas ou não pagas com órgãos vinculados a instituições da Administração Pública Federal, seja esse vínculo estabelecido de forma direta ou mesmo indireta.

Além disso, o Cadin possui ainda os nomes das pessoas que estejam com o CPF cancelado, bem como do CNPJ de pessoas jurídicas. Essa consulta também pode ser feita no link acima do Cadin, disponível no Sisbacen do Banco Central do Brasil.

Banco central do Brasil: Cotação

A cotação do Banco Central do Brasil permite que uma pessoa consulte a variação de uma moeda (qualquer uma ao redor do mundo) em determinada data. Basta selecionar uma entre as três opções disponíveis e escolher a data de início e fechamento e a moeda que deseja verificar.

Esse processo pode ser feito dentro do próprio site do Banco Central do Brasil – Cotações e Boletins. Tudo muito simples e fácil, para que você possa fazer verificações ou pesquisas sobre a cotação e variação de qualquer moeda em qualquer período. 

 A importância da cotação e das moedas ao redor do mundo

De cordas de conchas nas Ilhas Salomão a grandes discos de pedra na ilha de Yap, na Micronésia, ou a rodas de queijo Parmigiano-Reggiano na Itália, o dinheiro assumiu muitas formas ao longo da história. Hoje, as notas são uma expressão artística da soberania nacional, com muitos países optando por imortalizar autores e ativistas famosos, vida selvagem local e marcos nacionais icônicos. 

- Continua Depois da Publicidade -

Em outras palavras, o papel-moeda moderno representa a essência, a história, a beleza e os ideais aos quais cada país aspira. Para ver essa diversidade em ação, não precisamos ir além dos 189 países membros do FMI, que produzem 136 moedas nacionais únicas e formam quatro uniões de moedas, como o Euro.

Os destaques incluem o kwacha do Malawi, a menor nota do mundo, com cerca de 87% do tamanho da nota de dólar dos EUA. Na outra ponta do espectro estão os dólares de Brunei e de Cingapura, as maiores cédulas em circulação, cada um com uma área total de mais de 150% da nota de dólar dos EUA – exigindo uma carteira realmente grande. 

As cédulas em todo o mundo são retangulares, mas a maioria é mais larga do que alta. Os francos suíços, por exemplo, tendem a ser muito finos, enquanto as libras esterlinas e os xelins quenianos são mais quadrados.

No entanto, apesar das variações no design, as propriedades que definem a moeda são as mesmas: são uma unidade de medida, uma reserva de valor e um meio de troca. As notas de papel, ou moeda “fiduciária”, também não têm valor intrínseco; seu valor é determinado exclusivamente por meio da oferta e da demanda, e eles são declarados com curso legal por decreto governamental.

Os diferentes valores e a evolução para o futuro

O elemento mais importante que separa uma moeda nacional de outra é o seu valor. Os bancos centrais decidem qual deve ser a maior nota em circulação, e seu valor nominal é determinado pelo número de zeros – isso indica o poder de compra da nota dentro do país. Atualmente, as maiores notas trocadas de mãos variam de 20 dinares do Bahrein a 500.000 dong vietnamitas.

banco central do brasil

Historicamente, por causa da hiperinflação, muitos países imprimiram cédulas com um número de zeros em desenho animado: a Iugoslávia emitiu uma nota de 500 bilhões de dinares em 1991 e o Zimbábue uma nota de 100 trilhões de dólares em 2009.

Hoje, cem unidades de moeda (por exemplo, 100 US dólares) é mais comumente a nota de banco mais alta disponível em cada país. Mas o valor real (representado aqui por seu valor em dólares americanos) é onde a borracha cai na estrada.

Em média, a maior nota em circulação entre os países equivale a 33 dólares americanos, mas a diferença no valor real de um país para outro não poderia ser mais acentuada. São necessárias três notas de 100 libras do Sudão do Sul (as maiores em circulação) para comprar um café médio na Starbucks.

Na extremidade oposta, são necessárias apenas duas das maiores notas de Brunei – notas de 10.000 dólares – para comprar um sedã Toyota Yaris 2018. O dinheiro, no entanto, pode não ser rei para sempre.

Com as moedas digitais e as transações online ganhando força em todo o mundo, o futuro do papel-moeda pode estar em risco. O que antes era valorizado precisamente por sua fisicalidade está dando lugar a uma nova economia global, onde mais e mais transações – grandes e pequenas – são processadas eletronicamente.

Talvez um dia os países projetem e emitam cédulas do tipo virtual, com recursos ainda mais ricos para celebrar tudo o que eles são caros. Até então, no entanto, as notas de papel terão um apelo inegável.

BCB: calculadora do cidadão

banco central do brasil

A calculadora do cidadão do Banco Central do Brasil, permite que você calcule diversas operações com exatidão, entre as possibilidades temos: Índice de preços, TR, Poupança, Selic e o CDI. 

Assim, você só precisa inserir as datas corretamente para que a calculadora faça a correção dos valores. Uma ferramenta muito útil para quem se pergunta quanto teria direito de receber hoje com a correção, se receberia X valor no passado.

Banco central do Brasil: Reclamação

Para falar com o Banco Central do Brasil diretamente pelo telefone, o número é o 145. Mas caso deseje entrar em contato pela internet, você pode seguir até o site do consumidor do governo federal, buscar o nome do Banco Central do Brasil e abrir a sua reclamação

Banco central do Brasil, onde fica? Qual o endereço?

O Endereço do Banco Central do Brasil é: Setor Bancário Sul Q. 3 BL B – Asa Sul, Brasília – DF, 70074-900.

Lembrando que o endereço acima é referente a Matriz do banco, mas caso deseje consultar o endereço da instituição no seu estado, basta realizar uma pesquisa no Google com o nome “Banco Central do Brasil + Estado”.

Conclusão

O Banco Central do Brasil foi de suma importância para a melhoria da organização das finanças do Governo Federal e também do Brasil. Aliviar o alto número de responsabilidades que eram atribuídas apenas ao Banco do Brasil e ao Tesouro Nacional foi muito importante para evitar um colapso nos funcionamentos.

Assim, como uma instituição independente (embora vinculada ao governo) ela segue trabalhando para que cada vez mais as ações bancárias estejam alinhadas com o Estado e caminhando corretamente, para longe das crises.

VEJA TAMBÉM: C&A: cartão Bradescard e cupom de desconto saiba tudo aqui

 

Deixe seu Comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Talvez Você se Interesse

- Publicidade -