Telefonia & Comunicações

iPhone 7 é bom? Confira review e análise do smatphone

19/05/2024

O sonho de consumo da maioria das pessoas é ter um celular com o logo da maçã com um pedaço mastigado para chamar de seu.

Desde o lançamento do primeiro modelo de smartphone da Apple, o iPhone 7 se tornou um dos maiores desejos do mundo capitalista.

Como uma infinidade de recursos tecnológicos e um design inovador e único, o modelo da gigante norte americana se tornou um marco ao longo dos últimos 15 anos, revolucionando o mercado.

A Apple já lançou 14 gerações ao longo destes últimos 14 anos, sendo uma geração por cada ano sempre trazendo inovações e melhorias, capazes de pautar o mercado de smartphones e fazendo a concorrência trabalhar de forma constante para alcançar a liderança.

Com o honroso título de dispositivo móvel mais vendido da história, elevou o patamar de uma marca já histórica com computadores para uma referência global em smartphones.

Hoje, vamos tratar da décima geração do iPhone Apple, o iPhone 7, um dos mais vendidos da história da marca e que trouxeram novidades e inovações revolucionárias para o seu fiel público.

Antes de se tornar gigante no mercado de celulares, a especialização da empresa criada por Steve Jobs era no mercado de computadores e soluções de softwares e hardwares.

Jobs teve a companhia de mais dois colegas para fundar a Apple Computers INC no ano de 1976, no estado da Califórnia, nos Estados Unidos.

O nome da empresa foi inspirado por uma visita de Jobs a uma plantação de maçãs.

Essa visita foi realizada enquanto o seu fundador estava realizando uma dieta baseada no consumo baseado em frutas, legumes e verduras cruas, cozidas ou industrializadas.

O nome parecia simpático e não causava intimidação, tristeza ou algo negativo.

Ficou famoso além do seu nome o logotipo clássico da empresa californiana.

Para evitar a confusão com uma cereja, foi introduzida a mordida.

O primeiro logo era altamente colorido com as cores do arco íris, como forma de mostrar que o Apple II, o segundo computador de sua história, que iremos falar abaixo, era capaz de gerar gráficos em cores.

Somente em 1999, a mistura de cores foi modificada para tons monocromáticos em azul.

O logo atual em preto foi introduzido em 2003.

Steve Jobs foi CEO da empresa e liderou a empresa sediada nos Estados Unidos até o mês de 2011, quando precisou se afastar por causa de um câncer, sendo sucedido por Tim Cook, que lidera a empresa até os dias atuais.

Faleceu em outubro do mesmo ano por complicações da doença.

Com esse mote, os sócios lançaram o primeiro computador de sua história, o Apple I.

Montado como uma placa de circuito impresso com mais de 30 chips acoplados, não tinha um monitor de vídeo, gabinete, teclado ou fonte de energia.

Com apenas 200 unidades que foram vendidas durante um ano, o modelo foi descontinuado para lançar o Apple II com mais inovações nas partes gráficas e de som.

Lançado na metade de 1977, tinha um processador MOS com 4 kB de memória RAM, impensável para os valores atuais, interface para a utilização de fitas cassetes de áudio.