Finanças, Crédito & Seguros

iBovespa: O que é, como funciona e como investir corretamente

19/05/2024

O iBovespa é o principal índice econômico relacionado ao desempenho das ações das empresas que têm capital aberto dentro da Bolsa de Valores de São Paulo, a maior da América Latina.

Esse dado é fundamental na compreensão do quanto a nossa economia está rodando e como o mercado internacional está observando a política econômica nacional e realizando seus investimentos no Brasil.

Por mais que pareça complicado entender como funciona este índice, quando é bem explicado, fica fácil de se entender e até acompanhar como a variação das ações reflete o comportamento do mercado por aqui.

Vamos entender um pouco mais sobre o que é o índice iBovespa e como é possível investir diretamente na Bolsa de Valores sem dificuldades de compreensão.

Antes de contarmos a história do índice, vamos puxar mais a fundo sobre o início do mercado de valores em nosso país.

Engana-se que essa demanda é recente por aqui.

Tudo começa no dia 23 de agosto de 1890, com a criação da Bolsa Livre pelo então presidente do Banco do Brasil no começo da República Velha, o paulista Emílio Rangel Pestana.

O projeto não vingaria, sendo encerrado um ano depois por conta do Encilhamento, uma crise econômica com alta inflação por conta da oferta desenfreada de créditos livres para o desenvolvimento da indústria.

O que se formou foi, além da inflação, a criação de uma bolha econômica, onde a indústria foi altamente beneficiada, o que gerou uma grande especulação financeira.

O projeto de uma nova bolsa ficou paralisado por quatro anos, até ser criada a Bolsa de Fundos Públicos de São Paulo, mudando seu nome durante o período do primeiro mandato de Getúlio Vargas para a Bolsa Oficial de Valores de São Paulo.

Devemos frisar um ponto importante: cada estado possui a sua própria bolsa de valores, a exclusividade não é restrita apenas a São Paulo.

Antigamente, eram vinculadas às secretarias estaduais de Fazenda e os corretores eram nomeados pelo governo estadual.

Em 1965 e 1966, houve uma profunda reforma no sistema financeiro e no sistema de mercado de capitais no Brasil, aos quais o estado deixava de assumir essas funções e transformava as bolsas em associações sem fins lucrativos e que tinham autonomia:.

Assim, o corretor público indicado como cargo de confiança era substituído pelas corretoras de valores, responsáveis por fazer a cópia fiel do funcionamento das sociedades por ações nominativas.

Então, a Bolsa ganharia um novo nome, que seria popularizado com a população em geral, além dos experts no mercado: A Bolsa de Valores de São Paulo.

Antes do protagonismo que a Bolsa de São Paulo adquiriu por conta da concentração econômica ao longo dos anos 1970, a principal capital do mercado de ações do país era a Bolsa de Valores do Rio de Janeiro.